size_810_16_9_mulher-dinheiro

Poupar dinheiro pode ser mais difícil na prática do que na teoria. É exatamente isso que a especialista em finanças pessoais Nathalia Arcuri, que está lançando o livro Me Poupe! 10 passos para Nunca Mais Faltar Dinheiro no seu Bolso (Sextante, 176 páginas, R$ 29,90), tenta desmistificar. Com algumas dicas da Nathalia, vai ficar muito mais fácil economizar:

QUEIRA DE VERDADE

Entre achar que quer e querer de verdade, há um universo de escolhas. Aposte no que deseja de verdade.

– Às vezes, a gente acha que quer porque algo porque é o que se espera de nós, mas isso não sustenta a disciplina que o controle financeiro demanda. Quando se quer de verdade, aquele monte de coisa da qual a gente abre mão não soa como um sacrifício, mas, sim, como um passo que nos aproxima do objetivo – explica.

TRACE UM PLANEJAMENTO

Depois de saber o que quer, é hora de criar um planejamento que leve à realização das suas metas. Para Nathalia, esse é o momento de ser honesta consigo mesma e ver quais esforços está disposta:

– Sua meta é ter R$ 300 mil, por exemplo? Então, este é o momento de estabelecer que gastos podem ser excluídos do orçamento, descobrir como você pode ganhar mais dinheiro e ter bem claro que verba mensal deve ir para a poupança.

APRENDA A INVESTIR

Provavelmente, você vai precisar reorganizar a sua vida financeira e isso pode ser menos difícil do que parece.

– Quando acontece um imprevisto como perder o emprego, por exemplo, a pessoa se vê sem um salário e consegue adaptar toda a vida financeira da noite para o dia. É como se fosse necessário ficar sem dinheiro para aprender a cuidar do dinheiro. Por que não começar antes? – questiona Nathalia.

A dica é inverter o pensamento quando o assunto é dinheiro a ser poupado: você vive com o que sobrou e não o contrário. Tudo gira em torno do quanto você vai investir por mês para atingir a sua meta. O resto, como lembra Nathalia, é adaptação.

CRIE METAS PARA VOCÊ

Se você é daquelas que até quer, mas acha que nunca vai conseguir, está na hora de rever sua postura. É preciso confiança para começar a traçar metas – que são diferentes de sonhos, viu?

– Essa é uma parte muito importante da rotina de quem enriqueceu por conta própria: as metas devem ser específicas, mensuráveis, tangíveis, relevantes e ter um tempo para a realização. Tem que lembrar sempre que verbo não é meta.

Por exemplo, saber que você quer pagar a faculdade dos seus filhos é diferente do desejo de ter R$ 1 milhão guardados ao final de 15 anos separando uma quantia X por mês para pagar a faculdade dos seus filhos.

Compartilhe nas Redes Sociais:

Fonte: Revista Donna


Leia também