size_810_16_9_garoto-relaxado

Felicidade é um conceito muito amplo e difícil de ser definido! Mas, há algumas dicas que podem ser seguidas para que você alcance um mínimo de “felicidade financeira” em sua vida. São dicas simples e provavelmente não serão novidades para você. Mas, como no emagrecimento, o mais difícil é ter disciplina para segui-las diariamente. Força!

1) Dinheiro é bom, mas não é tudo.
Todo mundo já sabe disso, mas sempre é bom lembrar. Não dá para negar que o dinheiro traz conforto e muitas ‘outras alegrias’. Mas ele não pode ser um fim em si mesmo, sob o risco de ficarmos focados em somente acumular riqueza, enquanto a vida ‘passa lá fora’.
Reserve 10 minutos diários para fazer um resumo do dia: pense nas atividades que realizou desde que acordou e analise se estas atividades buscavam somente ganhar mais dinheiro, ou se lhe trouxeram também alguma satisfação pessoal. Se você conseguiu unir os dois objetivos, melhor ainda!

2) Dinheiro não é tudo, mas é necessário.
Esta frase não é muito dita, pois demonstra um lado mais prático de nossa vida que não é tão glamoroso. Sim, é preciso granhar dinheiro: para podermos nos alimentar, para ter uma moradia, para tratarmos de nossa saúde, para darmos educação aos nossos filhos.
Por isso, não adianta tatuar a frase “Dinheiro é bom, mas não é tudo” no peito e viver uma vida sossegada. É preciso trabalho e dedicação para conseguir o mínimo de dinheiro para conquistar a sua independência financeira e garantir uma vida digna à nossa família.

3) Não se descuide do futuro.
Quando somos jovens, é muito difícil nos imaginarmos no futuro e nos prepararmos para ele: este é um dos principais erros em nossa vida financeira.
Partimos do pressuposto que vamos trabalhar eternamente e que sempre teremos um salário. Não é verdade! É preciso formar uma ‘poupança’ para que a sua aposentadoria seja mais tranquila.

4) Gaste menos do que ganha … e Poupe.
É o grande segredo (já conhecido por todos também) para não entrar nas dívidas e formar uma poupança. Há diversas formas para se atingir isso: orçamento doméstico, controle dos gastos, diminuir o “consumismo desenfreado”, entre tantos outros.
Tenha a certeza de que todas estas formas valem a pena! Só assim você poderá manter suas finanças em equilíbrio, fazer com que o dinheiro seja efetivamente algo secundário e aproveitar a vida!

5) Doe.
Conseguir exercer a sua ‘opção’ de doar é algo muito importante. Significa que você está em condições financeiras boas, já que tem um valor de sobra para doar. E também indica que você alcançou uma maturidade suficiente para não se apegar somente às suas riquezas materiais!

Fonte: Minhas Economias


Leia também