6 maus hábitos que fazem você perder dinheiro

Alguns maus hábitos podem nos levar a gastar muito dinheiro desnecessariamente. Não que não se deva ter prazeres na vida – e alguns maus hábitos definitivamente são prazerosos. Mas quem não quiser desperdiçar dinheiro pode ter isso em mente para maneirar nos vícios e pequenos prazeres que não fazem de fato tanta diferença. Às vezes, é apenas uma questão de ser mais organizado. Veja a seguir quanto você gasta com seis maus hábitos que você poderia reduzir e até cortar:

Pagar o cartão de crédito atrasado

Entrar no crédito rotativo é certeza de pagar juros altos. Os bancos já anunciaram reduções significativas de juros no rotativo para determinados tipos de clientes. Mas a última pesquisa de juros da Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), datada de abril, mostra que a taxa do rotativo permaneceu, naquele mês, em 10,69% ao mês.

Para uma pessoa que tenha 1.000 reais de dívida no cartão de crédito e deseje quitá-la em 12 meses sem incorrer em novas dívidas, o valor pago apenas em juros será de 821,11 reais. Para isso, considera-se que, a cada mês, o devedor pagará uma parcela ligeiramente superior a um mínimo de 15% do saldo devedor.

Comer "bobagem"

Muita gente gosta de carregar balas e chocolates no bolso ou na bolsa para beliscar no dia a dia. Não há nada de mais em uma pessoa saudável comer uma guloseima de vez em quando, mas quando beliscar se torna algo frequente, o hábito pode pesar na saúde e até no bolso.

Comer apenas uma barrinha de chocolate, daquelas entre 30 e 70 gramas, cinco vezes por semana, leva a um gasto de 260 a 780 reais em um ano. Isso se consideradas as marcas mais baratas, cujas barrinhas custam entre um e três reais. Quem ainda se farta com balas e biscoitos recheados ao longo da semana pode, ao final de um ano, facilmente gastar mais de 1000 reais.

Fumar

Quem decide parar de fumar também passa a economizar. O preço mínimo de um maço de cigarros no Brasil é 3 reais, o que representa um gasto de 1.095 reais ao final de um ano para uma pessoa que fume um maço por dia. Em 10 anos, sem considerar correções monetárias, o gasto seria de mais de 10.000 reais.

Beber muita cerveja

De acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Cerveja (Sindicerv), o brasileiro consome entre 50 e 60 litros de cerveja por ano. Isso representa um gasto anual entre 285 e 342 reais, considerando-se um custo, no varejo, de aproximadamente dois reais para uma latinha de cerveja de 350 mililitros, das marcas mais populares. Considerando-se um preço entre cinco e sete reais para uma garrafa de 600 mL em bares e restaurantes, o custo anual desse consumo ficaria entre 416 e 700 reais.

Mas os amantes da bebida facilmente consomem mais do que isso. Uma pessoa que beba dois litros de cerveja por fim de semana, chega a consumir 104 litros da bebida por ano. Pelos parâmetros acima, o gasto chega a quase 600 reais por ano, no caso das latinhas, ou a 1.200 reais, no caso das garrafas consumidas fora de casa.

Beber muito café

O brasileiro consome cerca de 80 litros de café por ano, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC). Isso equivale a algo como três xícaras de 75 mL por dia. Uma pessoa que consuma essa quantidade de café, a três reais a xícara, termina o ano com um gasto de 3.200 reais. Sorte de quem tem acesso a café de graça no trabalho.

Beber refrigerante todos os dias

Beber refrigerante com frequência também pode ter um custo alto para a saúde e para o bolso. Imagine uma pessoa que, cinco vezes por semana, passe por uma máquina de refrigerante e compre uma latinha. Ao final de um ano, essa pessoa terá gasto 650 reais, uma vez que cada lata custa 2,50 reais.