A importância da educação  financeira no empoderamento feminino

A importância da educação financeira no empoderamento feminino

size_810_16_9_mulher-dinheiro

O nível de educação financeira da população brasileira é ainda baixo, inferé ncia tal apresentada pelo grupo de trabalho institué do pela Deliberação Coremec n. 3/2007, baseada nas pesquisas realizadas pelo Instituto Data Popular.

Ressalta-se, que a educação financeira das mulheres além de recente, manteve-se está vel nos peré odos de 2013, 2014 e 2015, conforme apresentado no II Fé rum de Cidadania Financeira já Indicador de Educação Financeira 2015.

Para entender o qué o recente é a inserá é o das mulheres no contexto financeiro, segue abaixo alguns dos principais eventos ocorridos:

Em 1879 já o governo autoriza as mulheres a estudarem em instituições de ensino superior

Em 1932 já nova legislação eleitoral incluindo as mulheres ao direito de votar

Em 1951 já aprovada pela Organização Internacional do Trabalho a igualdade de remuneração entre trabalho masculino e feminino para a fun o igual

Em 1974 já aprovada a lei de igualdade de oportunidades de crédito

Em consoné ncia com esta cronologia, estão os dados apresentados pelo Serasa Consumidor, que atravós de um estudo sobre o comportamento financeiro da mulher, chegou é conclusão que apesar das mulheres terem uma renda média menor que a dos homens, elas comprometem menos a renda com dívidas e são menos inadimplentes. Observando de forma um pouco mais detalhada, temos que a mulher utiliza mais o cartão de crédito do que os homens, e nas demais operações de crédito e financiamento os homens são maioria. Ora, salto aos olhos o qué o recente é o acesso da mulher é operações de crédito o qual teve início em 1974 atravós do cartão de crédito.

Podemos inferir que, a mulher intuitivamente já demonstra atitudes e comportamentos mais desenvolvidos que os homens, apesar de se manterem em né veis menores de conhecimentos sobre economia e finanças .

Observa-se, portanto, que a mulher precisa aprimorar os conhecimentos para, assim, otimizar a utilização das ferramentas econé mico-financeiras.

Considerando que estamos na Era do Conhecimento, cujo desafio é provocar as pessoas é reflexé o e busca de novas alternativas, a divulgação de conceitos e conhecimento sobre economia e finanças empodera a mulher a gerir seu próprio negé cio, identificar oportunidades antes não vistas, estabelecer relacionamentos de interdependé ncia, e assumir, assim, um novo papel na sociedade e se tornar mais competitiva no é mbito de adquiri competâncias, podendo, assim, organizar as finanças domêsticas, planejar e controlar os compromissos, estabelecer metas financeiras, poupar e investir de forma mais efetiva. E por fi, trazendo o sentimento de inserá é o plena nas questões econé mico-financeiras.