A tranquilidade financeira e o consumo consciente

Os motivos que levam grande parte das pessoas a terem o desejo de enriquecer é a possibilidade de ter uma vida confortável e também garantir um futuro mais tranquilo. Entretanto, a maioria acaba tendo seus planos prejudicados por se deixar seduzir pelas armadilhas do consumo fácil ou, como costumo dizer, tolo.

 
E basta ligar a televisão, o computador e até mesmo o celular para termos à disposição os nossos sonhos de consumo; e para o nosso conforto, eles podem ser parcelados em várias vezes no cartão de crédito ou financiados. Além disso, somos sensibilizados pelos apelos publicitários de que se vestirmos a roupa x ou usarmos o celular y seremos infinitamente mais felizes.
 
Esse tipo de situação acaba nos proporcionando uma satisfação rápida, poré, o custo desse consumo costuma nos acompanhar por mais tempo do que realmente desejamos e também nos distancia de termos uma reserva financeira adequada.
 
Há diversos caminhos que podemos trilhar para alcançarmos um patamar de estabilidade financeira, mas, como em todo percurso, alguns obstáculos precisam ser superados. O primeiro é compreendermos que não podemos ser reféns do dinheiro e das dívidas e condicionarmos nossa felicidade e tranquilidade com a capacidade de consumo.
O segundo passo é sempre avaliarmos qual impacto o consumo desnecessário pode ocasionar em nossa vida. Claro que consumir faz parte do nosso cotidiano, mas isso não significa que compramos de forma saudável e é nesse ponto que caímos nas armadilhas do consumo.
 
Exercemos um comportamento em que somos dominados pelo dinheiro quando consumimos compulsivamente, e isso pode ser resultado de uma série de fatores, como um shutterstock_74352352longo período sem emprego, momento em que somos obrigados a reduzir o consumo, ou se ascendemos de classe social ao longo da vida. E situações como essas acabam adiando a tranquilidade financeira.
 
A facilidade do crédito que dispomos atualmente é muito mais farta do que há 20 anos e isso atrai uma grande parcela da população que se sentia excluída do comércio e dos serviços. Isso impulsionou um maior número de pessoas dispostas a realizar seus desejos parcelados. Quem poderia imaginar comprar um carro em até 48 vezes, uma geladeira em 24 meses, pagar uma viagem e comprar um imóvel em prazos tão longos?!
 
Essas oportunidades se estenderam para tudo o que nos cerca e caímos em um círculo vicioso de colocar nosso dinheiro em perigo. A tão desejada tranquilidade financeira não é apenas ter dinheiro aplicado. Ela é um novo modo de viver e usar o dinheiro a seu favor.
 
Existem diversas formas de alcançar a estabilidade financeira e cada uma tem um perfil adequado. Se espelhe nos exemplos de quem superou crises financeiras, independente de seu tamanho, e adapte às suas necessidades.  Assim, além de estabilizar suas contas, você terá uma nova mentalidade relacionada à sua vida e ao que realmente lhe faz feliz.