Analise suas finanças antes de investir

Cada vez mais, as pessoas estão tomando consciência da importância que é reservar dinheiro para o futuro, seja por meio da poupança, de uma previdência privada ou mesmo de investimentos em empresas com ações na bolsa de valores.
Entretanto, de acordo com a professora de economia da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), Cristina Helena Pinto de Mello, antes de começar qualquer investimento, é importante que as pessoas analisem suas finanças.
“As pessoas devem cultivar o hábito de fazer uma planilha de orçamento mensal (…) Só assim conseguirão conhecer o percentual da renda que vai para as despesas fixas e estimar aquele destinado para as despesas variáveis e ter uma visão global do que ela tem disponível para investir”, explica.
Além disso, completa ela, “conhecer os próprios gastos, é fundamental para que as pessoas deixem um dinheiro reservado para as despesas extras”, ou seja, aquelas que não são planejadas.

Dívidas
Outro ponto a considerar, argumenta a professora, são as dívidas. Segundo Cristina, quem possui dívidas deve analisar se os juros que irá receber na aplicação na qual pretende investir são maiores do que os cobrados pela dívida que tem a pagar. Caso a resposta seja negativa e se não for uma dívida longa, como um financiamento imobiliário, por exemplo, talvez o melhor seja quitar os débitos, para depois investir.
Ainda sobre o assunto, a professora diz que quem tem algum bem para vender, a exemplo de um carro, não deve utilizar todo o dinheiro para quitar a dívida, devendo reservar uma parte para uma emergência.
Além disso, no que diz respeito aos investimentos, Cristina aconselha aos profissionais liberais que, na hora de avaliar suas finanças, sempre subestimem os rendimentos, já que estes não são fixos, como acontece com quem é contratado sob o regime da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).