Sem categoria
26/11/12

Aprendendo a dizer não

Economizar um pouco todo mês é uma tarefa que pode ser aprendida diariamente, mas que requer disciplina. Fazer isso sozinho é o primeiro passo para que a família e os amigos percebam o seu esforço para colocar as finanças em dia.

No entanto, quem geralmente é responsável pelo dinheiro de uma casa precisa aprender a dizer alguns “nãos”, seja para aquele tio, prima, cunhado, irmão, ou até mesmo um amigo que pede empréstimo para você.

A situação, muitas vezes, causa uma “saia justa”: não emprestar o dinheiro e criar desgastes familiares ou emprestar o dinheiro e assumir o prejuízo no bolso? Nesta hora é fundamental separar as relações pessoais da sua vida financeira.

É importante ressaltar que essa situação pode trazer desconfortos para quem empresta e também para quem pede emprestado. Em muitos casos, pessoas que emprestam o dinheiro acabaram arcando com a dívida e ficaram endividados.

O vício de quem se endivida
Para ajudar pessoas compulsivas existe um grupo independente chamado Devedores Anônimos (DA), que funciona da mesma forma que os Alcoólicos Anônimos (AA). Um dos principais objetivos é fazer com que a pessoa tenha condições de enfrentar e controlar suas respectivas compulsões, nesse caso relacionadas ao dinheiro.

Geralmente a bola de neve começa com esses pequenos empréstimos oferecidos para amigos e familiares. “Cerca de 60% das pessoas que pedem dinheiro emprestado acreditam que serão ajudadas”, comenta Mandel*, membro do grupo Devedores Anônimos há 12 anos.

Como lidar?
Uma das melhores saídas para evitar essas ocasiões é usar a sinceridade e dizer, o mais direto possível, que você não pode comprometer seu orçamento com aquele pedido. “Ainda que a pessoa fique chateada, falar a verdade é o ato mais honesto que você pode ter para preservar a relação e não desequilibrar seu bolso”, diz Mandel.
 

Emprestar o nome para compras de terceiros pode prejudicar a sua vida se o pagamento não for feito. Pense muito be, seu nome é seu patrimônio.
 

Dizendo não para você mesmo
“O devedor é uma pessoa incapaz de tratar o dinheiro como uma ferramenta para comprar coisas como a maioria das pessoas. Para ele, o dinheiro é apenas um pedaço de papel, usado sem nenhum critério do ponto de vista da administração financeira”, diz Mandel.

Na hora das compras
Para evitar o consumo, o grupo tem um costume, que é frequentemente seguido: adiar a compra.

“Eu estava precisando mesmo comprar uma calça e passei numa loja. Comprei apenas uma peça e, as outras, pedi para a vendedora guardar, deixei meu telefone com ela, e acabei me esquecendo da compra”, conta Mandel.

Outras formas de evitar compras que você irá parcelar (ficar devendo):

– Respirar fundo e sair da loja;
– Se estiver no shopping, dar uma volta nos outros corredores;
– Dar aquela “desculpa” para o vendedor: “Amanhã eu passo”;
– Desligar o pensamento da compra desejada, lembrar de outras coisas que você tem para fazer no dia a dia;
– Fazer um planejamento de “Proibido comprar durante x dias” e seguir à risca;
– Pensar nas dívidas e nas contas que ainda precisam ser pagas.

* Nome fictício usado para preservar a identidade do entrevistado.