20160118-dinheirama-troca-dividas

Assunto que interessa a todas as idades, as finanças pessoais são preocupação essencial de quem quer ter uma vida financeira saudável e equilibrada.

Confira aqui recomendações selecionadas sobre finanças pessoais e use o seu dinheiro de forma inteligente!

  1. Tenha uma ferramenta de controle financeiro pessoal

Controlar os gastos e saber exatamente para onde seu dinheiro está indo é um passo fundamental para manter suas finanças pessoais em dia. Há diversas ferramentas disponíveis para auxiliá-lo nesta tarefa e a mais comum delas é a planilha de controle de gastos.

Um modelo em Excel pode ajudá-lo a registrar as receitas, despesas e suas respectivas categorias. Apesar de acessível, o modelo exige atualização permanente para que nenhum gasto fique de fora.

Outra ferramenta de controle financeiro pessoal é fazer uso de um orçamento.

Mas cuidado: a planilha ou orçamento apenas apoia você em avaliar onde a “água está vazando”. Sua disciplina e estabelecer um limite de gastos por mês e seu acompanhamento é fundamental para que isso funcione.

  1. Use a regra do 50-15-35

A regra dos 50-15-35 defende que a renda deve ser dividida em metas de gastos. Você deve destinar 50% das suas receitas para os gastos essenciais, como aluguel; condomínio; contas de luz, água, gás; mensalidade da escola, plano de saúde, etc.

O equivalente a 15% da renda vai para as prioridades financeiras. Se você tem dívidas, este valor é destinado para quitá-las. Caso esteja em dia com suas obrigações guarde os 15% em uma poupança, fundo de renda fixa ou outro tipo de investimento.

Os 35% restantes serão usados para manter o seu estilo de vida: lazer, academia, cuidados pessoais, etc.

  1. Renegocie as dívidas antes de guardar dinheiro

Esta deve ser sua primeira prioridade financeira. Antes de começar a poupar, é importante saber quais são suas dívidas, o valor , a taxa de juros e procurar seus credores para renegociar o pagamento. Lembre-se de fechar um acordo que você efetivamente possa cumprir.

  1. Crie uma reserva de emergência

Em geral, em alguns momentos, temos uma emergência financeira: um carro quebrado, um gasto grande com remédios, material escolar que não estava previsto na lista… Para lidar com estas despesas inesperadas sem ter que fazer um rombo na conta corrente conte com um fundo de emergência. Poupe um pouco todo mês até chegar à quantia equivalente de três a seis meses da sua renda mensal.

  1. Aposente o cartão de crédito

Não há como negar que o cartão de crédito, muitas vezes, é uma mão na roda. No entanto, há pessoas que não sabem como lidar com o dinheiro de plástico. Resultado: perdem o controle dos gastos e estouram seu orçamento. Pelo bem das suas finanças pessoais, aposente seu cartão e adote o pagamento à vista. Além de conseguir pleitear descontos, você tem noção do dinheiro que está saindo da sua conta.

  1. Pare de pegar empréstimos

Muitas pessoas estão tão acostumadas a pegar empréstimos que encaram aquele processo como parte de sua rotina financeira. Se este é o seu caso, pare agora. Empréstimos devem ser considerados como o último recurso e não como um hábito. Todas as vezes que quiser comprar um bem mais substancial ou fazer uma viagem, poupe o dinheiro para aquele fim.

  1. Troque dívidas caras por outras mais baratas

Gastos no cheque especial e cartão de crédito são as que têm os maiores juros do mercado. Se você está endividado em um destes meios é hora de agir e buscar trocar a dívida cara por uma opção mais barata, como empréstimo consignado, que é descontado diretamente do contracheque, ou por um modelo com garantia de bens. Os juros são mais em conta.

  1. Poupe pelo menos 10% do salário

Com as dívidas quitadas, é hora de economizar. Poupar 10% do salário todo mês é um hábito que vai fazer a diferença no futuro.

  1. Cuide da aposentadoria o quanto antes

Quanto mais cedo você se preocupar com sua aposentadoria, maior a quantia que conseguirá a juntar para este fim. Seja por meio de um plano de previdência privada ou até mesmo colocando um dinheiro na poupança, comece já.

A principal regra em relação a dicas de finanças pessoais é que dá para poupar para o futuro sem precisar se sacrificar no presente. É começar com passos de bebê e estabelecer hábitos financeiros saudáveis.

  1. Tenha uma vida minimalista

É muito importante ter uma vida na qual a gente saiba claramente a diferença entre necessidades e desejos. Viver ao máximo com aquilo que já temos e criar novas formas de renda mesmo já tendo um trabalho vai fazer você chegar longe mais rápido.

Compartilhe nas Redes Sociais:

Fonte: Eu Mais Rico


Leia também

Em evento, diretor executivo da ASCPrev ressalta importância do Programa A Escolha Certa

  Uma das grandes conquistas da ASCPrev é o Programa “A Escolha Certa”, que em junho completará quatro anos. Em tão pouco tempo o programa já é referência nacional, tendo conquistado um prêmio da ABRAPP e outro da ANCEP. Estas foram ...

Cartão de crédito: como funciona esse mercado?

Definição de cartão de créditoAntes de iniciar o artigo, apresentarei uma definição sobre cartão de crédito. Segundo site do Procon/SP, cartão de crédito é “um meio que possibilita o pagamento à vista ou parcelado de produtos e serviços, obedecidos requisitos ...

Uma excelente forma de poupar: evitar o desperdício!

Quais as opções que temos para poupar mais? Bem, costumamos pensar que existem duas maneiras básicas:ganhar mais dinheiro: aliás, a opção preferida por todos!gastar menos dinheiro: não é das mais agradáveis, porém é imprescindível.Entretanto, consideramos que há uma 3ª alternativa, ...

Mais uma razão para abandonar o cigarro – Bolso pesa mais aos fumantes

 Pesquisa é a primeira a avaliar os fatores por trás da queda de 50% de usuários de cigarro no Brasil de 1989 a 2010. Impostos mais altos respondem por quase metade da tendência; para especialista, há espaço para melhorar. Pesquisadores ...

Dicas para adaptar o orçamento aos tempos de inflação

Alta da inflação diminui poder de compra do consumidorO Indicador Serasa Experian de Educação Financeira mostrou que 39% da população acharam falsa a afirmação de que em um país onde a inflação é alta, os preços não se alteram tanto ...