Como organizar as contas depois do Carnaval

 Para amenizar a ressaca dos gastos extras no Carnaval e curar a dor de cabeça das dívidas que crescera, o consumidor pode usar gratuitamente o JIMBO, ferramenta que ajuda a organizar as contas no dia a dia e ainda programar as despesas do ano. Com a ferramenta também é possível gerir os gastos com a palma da mão, já que a versão do software também está disponível para celulares. “O ideal é colocar as contas no papel. Pense em todos os gastos que teve durante a viage, desde os pequenos até os mais caros como hospedage, transporte, passeios, alimentação. Mas se começou o ano endividado é preciso se preocupar com as despesas fixas e listar todas as contas que estão atrasadas”, explica Fábio Moraes, diretor de educação financeira da Febraban.

Segundo Moraes é preciso renegociar as dívidas que estão atrasadas e também avaliar a necessidade de trocar uma divida rui, por uma melhor. “Por exemplo, o cheque especial é um instrumento para ser usado apenas em casos de emergência, porque seu objetivo é socorrer o cliente numa situação imprevista. Então seu uso é indicado quando você está seguro de que cobrirá sua conta corrente no prazo de alguns dias”, diz ele. “Se você estiver endividado no cartão de crédito, ou no cheque especial, você pode optar por uma linha de financiamento mais adequada para sua necessidade. O crédito consignado, por exemplo, é uma modalidade de crédito descontada diretamente da folha de pagamento do empregado (aposentado, pensionista ou funcionário do setor privado), justamente por ser um crédito com uma garantia maior de pagamento, os juros costumam ser baixos”, acrescenta Moraes.

Se a pessoa usou o cartão de crédito durante o Carnaval o melhor é optar pelo pagamento total do valor da sua fatura. “Evite pagar o valor mínimo e entrar no crédito rotativo, um financiamento automático do saldo devedor do cartão acrescido de juros”, ressalta Moraes.

Quem está endividado precisa mudar seu comportamento em relação ao consumo, não basta apenas pagar as dividas. “É preciso cortar as despesas desnecessárias para equilibrar o orçamento e evitar velhos hábitos que comprometem o salário no mês, por exemplo, passar na frente de uma vitrine e se render a mais uma calça jeans, ou ir para o cineminha todo final de semana, frequentar baladinhas com amigos, comprar lembrancinhas, entre outros gastos”, diz Moraes.

Por mais que seja difícil essa mudança de comportamento, pense que é uma situação passageira e pontual. “Ninguém gosta de estar endividado! Tente cortar todas as despesas desnecessárias e pequenas, até mesmo gastos como comer fora de casa e  tomar o cafezinho na padaria todos os dias. É importante perceber que as pequenas despesas podem gerar um grande gasto no fim do mês, assim como as pequenas parcelas”, avalia o diretor de educação financeira.

“Claro que nem sempre á fácil organizar o orçamento, essa tarefa exige disciplina e acompanhamento constante. Mas os benefícios de manter as contas em dia são imensos, sem falar na tranquilidade de saber que não existem contas atrasadas no mês, nem dívidas maiores do que o seu salário”, observa Moraes.

Depois de organizar o orçamento, faça uma lista de projetos, que podem ser de médio e longo prazo, como comprar um carro, fazer uma viagem para o exterior, ou entrar na faculdade. “O importante é ter em mente que os projetos estão ligados a uma determinada situação financeira, por isso é importante um planejamento de poupança. Pense no quanto vale esse projeto e por quanto tempo terá que guardar dinheiro para conquistar esse sonho”, diz Fábio.

“O ideal é transformar a poupança em um hábito, como se fosse uma obrigação dentro do seu orçamento. Não precisa ser muito dinheiro, mas qualquer quantia já é um início de um novo comportamento em relação ao dinheiro”, avalia Moraes.

Moras explica que se uma pessoa tem dificuldade para guardar dinheiro sozinho, poderá optar por um produto financeiro, por exemplo, um consórcio, onde estipula um valor que será necessário para alcançar aquele sonho e paga todo mês uma quantia adequada ao orçamento, o consociado pode ser sorteado ou então oferecer um lance para adquirir o valor da carta de crédito. “Se você tiver poupança, também pode programar os débitos direto na sua conta corrente”, finaliza ele.