Contas em ordem: 12 atitudes que atrapalham o or amento

 

 

Saiba o que não fazer para colocar suas contas em ordem e organizar as finanças

SÃO PAULO – Muitas vezes o sucesso – ou fracasso – do planejamento financeiro está nas atitudes. Erros comuns, que passam despercebidos por muitos, interferem diretamente nos resultados das finanças pessoais e podem impactar, e muito, as contas no final do mês.

É comum encontrarmos listas e listas com dicas de como organizar as finanças. Mas nem sempre é fácil apontar os erros, o que não fazer, quando o assunto é a organização do próprio dinheiro.

Abaixo você confere os comportamentos que devem ser evitados na busca do sucesso financeiro… Se for o caso, reveja seus hábitos!

1 – Deixar para amanhã – Como diz o ditado, “não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”. Planejamento financeiro é igual à dieta, ou seja, deixar para o dia seguinte pode prejudicar, e muito, o resultado final.

2 – Começar pelas despesas – Muitos acham que uma planilha de orçamento deve começar pelas despesas, pois, conhecendo os gastos, fica mais fácil saber para onde vai o dinheiro recebido. O erro, no entanto, está na ordem das coisas. O correto é começar pelas receitas e adequar os gastos a elas, e não o contrário.

3 – Não considerar pequenos gastos – Desconsiderar despesas menores, como o cafezinho após o almoço, por exemplo, pode impactar o controle das finanças. Assim, anote e considere como gastos todas as despesas, mesmo aquelas chamadas “invisíveis”.

4 – Não envolver a família – Quando toda a família está envolvida no planejamento, fica mais fácil traçar metas conjuntas e cobrar atitudes para alcançá-las.

5 – Agrupar as despesas – Ao colocar as despesas em grupos, as pessoas acabam não percebendo exatamente para onde vai o dinheiro. A dica não é eliminar os grupos, mas sim detalhar um pouco mais as despesas de cada um deles.

6 – Guardar apenas o que sobrar – Deixar para guardar apenas o que sobrar no final do mês é um grande erro, pois, dessa forma, raramente sobra alguma coisa.

7 – Considerar cheque especial como renda – Cuidado! Essa modalidade de crédito tem uma das taxas de juro mais caras do mercado e utilizá-la com frequência e sem planejamento pode levá-lo ao descontrole e à inadimplência.

8 – Esquecer compras parceladas – Esquecer esses valores pode causar um grande rombo no orçamento quando chegar a hora de pagar as contas.

9 – Considerar o salário bruto – Na hora de calcular as receitas, muita gente considera o salário bruto, sem o desconto dos impostos, o que dá a ilusão de um rendimento maior.

10 – Não rever a planilha de tempos em tempos – Além das mudanças com a idade, por exemplo, certos gastos são sazonais. Assim, destinar um percentual maior para lazer e educação entre dezembro e janeiro, por exemplo, época de férias e preparação para o próximo ano letivo, é normal.

11 – Não ter objetivos – O sucesso de um planejamento financeiro depende, muitas vezes, dos sonhos, dos objetivos e das formas utilizadas para alcançá-los.

12 – Não ter uma reserva de emergência – Essa reserva deve ser destinada a gastos inesperados e de grande impacto financeiro, como em situações de desemprego, doença etc. O ideal é separar um valor mensal com esse objetivo e aplicá-lo, de preferência em investimentos seguros e líquidos, para que o montante seja de fácil acesso na hora do resgate.