Crian a que sabe gastar vira adulto controlado

Crian a que sabe gastar vira adulto controlado

size_810_16_9_Criané as ComprandoOrganizar as contas de casa requer também um passo difácil, mas que traré bons frutos no futuro: educar financeiramente as crianças. Especialistas dizem que crianças que aprendem a valorizar e gastar o dinheiro se tornam adultos mais controlados.

As famílias brasileiras tem grande dificuldade de gestão dos seus recursos e não conseguem fazer uma utilização consciente desses valores, na avaliação do educador financeiro e autor do livro já Mesada Não é Sé Dinheiro Reinaldo Domingos. O especialista defende que o controle dos gastos come a na infé ncia, com educação.

já é preciso come ar na escola, em casa, para criar cidadãos de forma consciente, educado financeiramente afirma Domingos. A escola é essencial e considerada um celeiro para educar as crianças financeiramente. Com professores bem estruturados, disciplinas que mostrem como se gasta o dinheiro e com palestras sobre educação financeira, as crianças são bem orientadas.

Um dos cuidados que os pais devem ter é com a mesada aos filhos. Segundo Domingos, os pais devem definir valores, dentro do oré amento, e ensinar aos filhos que o dinheiro tem importância tanto para pagar as despesas, quanto para realizar sonhos.

já Se você vai dando dinheiro para seu filho aleatoriamente quando criança, você vai criar um consumista, porque aquilo que ele ganha, ele gasta disse o educador, exemplificando os casos de crianças que recebe, toda semana, valores aleaté rios que acabam sendo gastos com balas e doces.

No mé todo de Domingos, para definir o valor da mesada, o pai deve observar e anotar tudo que a criança pede em 30 dias. Depois desse peré odo, é definido um valor, como R$ 100. Do total, R$ 50 é dado para a criança, informando que ela terá somente aquele valor para gastar no mês. Os outros R$ 50 vé o para um cofrinho ou caderneta de poupané a, com o objetivo de economizar para um sonho de consumo.

já No futuro, quando receber o primeiro salário, dificilmente, vai queimar todo esse recurso de uma vez afirmou Domingos.

Aos sete anos, Bernardo Rodrigues já tem quase três cofres cheios de moedas e cé dulas. O garoto ganhou o primeiro cofre da mé e aos cinco anos, mas, somente após um ano passou, de fato, a juntar dinheiro. Segundo a tia do menino, a dona de casa Fernanda Rodrigues, as moedas come aram a ser dadas para Bernardo, baseado no comportamento. já Ele queria fazer tolice e ensinei que, se ele se comportasse be, ele ganhava as moedas disse Fernanda.

Apé come ar a receber as moedas pelo bom comportamento, Bernardo passou a juntar porque queria ter dinheiro para passear e comprar brinquedos. Segundo Fernanda, o ponto positivo do sobrinho ter cofre é dar valor ao dinheiro. já Uma vez fomos sair e ele levou R$ 5. Quando decidiu brincar, viu que num brinquedo já ia a metade do dinheiro. Ele ficava triste porque acabava ré pido contou a dona de casa.

Desde 2014, Bernardo está juntando moedas e cé dulasé para poder viajar para a Disney. O garoto já está no terceiro cofre, do modelo que sé é possé vel retirar o dinheiro quebrando o objeto.

já Quando o Bernardo come ou a juntar o dinheiro e a gente ia para o parquinho e o dinheiro não dava para nada, ele come ou a valorizar. Se eu tivesse tido esse incentivo quando era criança, eu não seria tão desorganizada com as minhas finanças avaliou Fernanda.