20160118-dinheirama-troca-dividas

Uma grande dos consumidores tem pouco conhecimento sobre as finanças pessoais. É o que aponta uma pesquisa Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), segundo a qual 47% dos entrevistados sabem muito pouco ou nada sobre seus rendimentos e 41% sobre as contas básicas.

Outro dado apontado no estudo indica que 59% dos inadimplentes têm pouco conhecimento sobre os valores dos produtos e serviços comprados no crédito que seriam pagos no mês seguinte à pesquisa e sobre quais são eles (55%). O número de parcelas das compras feitas no crédito também é bastante desconhecido: 40% dos inadimplentes sabem muito pouco ou nada a respeito.

Dessa forma, a pesquisa revela que uma consequência de negligenciar o conhecimento de seus próprios rendimentos e contas é o fato de 35% dos inadimplentes nunca ou na minoria das vezes conseguirem fechar o mês com todas as contas pagas, sem se endividar.

A compra de alimentos, produtos de higiene e limpeza (31%), seguido por pagar no prazo as contas básicas mensais (24%) e pagar as contas em atraso que geraram a negativação do nome do entrevistado (20%) são as prioridades de pagamento deste público.

A pesquisa revela também que 38% vivem fora do padrão de renda, comprando além do que podem pagar e somente 23% conseguem juntar dinheiro na medida que desejam. Outros três em cada dez (29%) não se preocupam muito com o futuro e por isso compram sem pensar, 29% não planejam as compras e 23% não pesquisam todos os preços.

Mas há alguns dados que dão esperança, como de que 64% fazem planejamento financeiro mensal e sabem quanto têm para gastar no orçamento ou o de que 38% guardam dinheiro pensando no futuro e 30% têm reservas para a realização de algum sonho futuro.

A grande maioria também considera ter o nome limpo um bem precioso (85%). Já 83% consideram importante administrar o próprio dinheiro, 79% que honrar compromissos financeiros vem sempre em primeiro lugar, 78% acreditam que o controle das finanças pessoais é necessário para se sentirem bem e 74% se preocupam com o volume de compromissos financeiros que possuem.

Compartilhe nas Redes Sociais:

Fonte: O Economista


Leia também

Aposentadoria: Comece a poupar antes dos 35 anos

Quanto mais cedo o trabalhador começar a poupar, mais probabilidade ele terá de manter seu padrão de vida na aposentadoria. 1, 3, 6 e 9. Guarde esses números. Eles podem ser fundamentais para assegurar que sua velhice seja tranquila. Cada ...

Governo planeja mudanças na previdência complementar aberta

 Até o final deste ano o Ministério da Fazenda pretende mudar as regras para investimentos feitos por entidades de previdência complementar aberta, que reúnem cerca de 42 milhões de participantes, conforme informou a Superintendência de Seguros Privados (Susep), órgão  vinculado ...

Quase 1/3 dos inadimplentes fica com nome sujo por dívidas que não são suas

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) fez uma pesquisa inédita com inadimplentes e descobriu que quase um terço deles ficou com o nome sujo por causa de dívidas que não eram suas. Quinze milhões de brasileiros estão nessa situação. ...

7 Dicas para sair do vermelho de forma definitiva

Você já teve a sensação de que o mês de repente ficou “mais comprido” que o seu salário? Será que isso é consequência da crise econômica que o país enfrenta? Não necessariamente! Saber que o país está em crise e que ...

Educação financeira: 6 dicas para não desperdiçar dinheiro

Desemprego e crise econômica no país são fatores que comprometem (e muito!) a saúde financeira das famílias. Mas tem outro item que chama a atenção e contribui para agravar ainda mais a falta de grana no bolso: desperdício de dinheiro  ...