Sem categoria
01/02/13

Economia e objetivos

Com disciplina e um pouco de organização, é possível lidar bem com o dinheiro e atingir metas de curto, médio e longo prazos. Esse é o caso da diretora de arte de agência de publicidade, Beatriz Martins, 26 anos, de São Paulo, que pensa tudo estrategicamente com o objetivo de pagar as contas fixas, fazer algumas compras pessoais de vez em quando e poupar.


Foco no objetivo!

Tudo começou em 2006, quando Beatriz, hoje diretora de arte de uma agência de publicidade de São Paulo, tinha um salário baixo, não conseguia guardar dinheiro e tinha o sonho de conhecer a Europa – o que faltava era uma renda extra para dar aquele empurrão no orçamento. Focada nesse objetivo, começou a vender cosméticos e produtos femininos com a irmã e atuar mais como freelancer (sem vínculo empregatício). Usou suas habilidades profissionais ao montar um blog para aumentar as vendas.

Em dois anos conseguiu juntar R$ 8 mil e ir viajar. “E a minha irmã também conseguiu um dinheiro para ajudar na festa de casamento dela”, conta.

Hábito e disciplina
No dia a dia, os gastos fixos e as variáveis são bem definidos e com espaço garantido no orçamento. Para Beatriz, dinheiro recebido é dinheiro separado com destino. Logo que recebe o salário, paga todas as contas fixas: o aluguel do apartamento, o celular, o dinheiro da faxineira, entre outras despesas. Em seguida, separa a quantia que deve ir para a poupança: de 10 a 20% da remuneração. O que sobra cobre os gastos pessoais, os “luxos”. “É o salão de beleza, um sapatinho novo aqui, um restaurante mais caro lá. É aquilo que me faz feliz”, afirma.

Beatriz também incrementa a poupança com todos os ganhos obtidos como freelancer. “Transfiro logo que é para nem ver a cor do dinheiro”, brinca.

Toda essa determinação já rendeu uma viagem para a Europa e mais condições financeiras para realizar sonhos a curto, médio e longo prazo. “É da poupança que vai vir o pagamento para o meu MBA em gestão de marketing, que começo ainda este ano”, diz. Além disso, ela pretende pagar a entrada de um apartamento na planta e garantir uma aposentadoria mais tranquila no futuro.

Para Beatriz, o dinheiro que sobra nunca é pouco demais para ser poupado. “Contou as despesas e sobrou R$ 30,00? Guarde, pois quando você vê, já juntou um montão. Guardar dinheiro é hábito e disciplina!”, ensina.