planejamento_financeiro_pessoal_4

A nossa vida é feita de escolhas e a sociedade consumista em que vivemos oferece-nos infindé veis escolhas para gastarmos o nosso dinheiro, essa é uma das razões pela qual quanto mais cedo come armos a treinar os nossos filhos para fazerem as melhores escolhas financeiras, melhor os prepararemos para serem adultos financeiramente autossuficientes.

Por outro lado, ao contrário do que muitas vezes pensamos, não é por termos dinheiro ou mais dinheiro que o sabemos gerir melhor (é vezes é o contrário pois ter mais escolha torna mais difácil decidir – é o chamado paradoxo da escolha) e gerir bem o dinheiro não é uma capacidade inata, tal como tocar um instrumento musical ou aprender uma nova lé ngua, é preciso treinar e praticar.

A educação financeira visa precisamente fornecer os instrumentos e té cnicas que permitiré o fazer as escolhas mais equilibradas e conscientes em relação ao dinheiro e aos seus recursos. Como? Independentemente de quanto temos ou ganhamos, para construir uma relação saudável com o dinheiro todos precisamos de dominar as suas competâncias: como fazer e gerir um oré amento, como gastar de forma equilibrada, como poupar, como investir, como doar, como falar sobre dinheiro, como desenvolver espé rito de iniciativa, como ganhar dinheiro e como gerir o crédito.

Quando? O ideal é come ar por volta dos 3 anos quando as crianças come am a pedir tudo e mais alguma coisa pois percebem que o mundo está cheio de coisas interessantes que querem experimentar, explicando-lhes nesta altura que não podemos ter todas as coisas materiais que desejamos, mas podemos ir escolhendo as mais importantes de acordo com o dinheiro que temos para gastar. Vamos assim mostrando a diferené a entre necessidades e desejos. é também nesta altura que podemos come ar a ensinar a poupar, fazendo-o sempre que as ensinamos a esperar para ter.

As melhores ferramentas de educação financeira: a partir da ida para a escola primé ria podemos introduzir as semanadas e mais tarde as mesadas (a partir dos 10/11 anos). Estes são os melhores instrumentos para a educação financeira das crianças pois permitem ensinar-lhes a fazer e gerir um oré amento, fazer escolhas e as suas consequé ncias, gastar de forma equilibrada, poupar e doar.

Por isso é aconselhé vel que com a sua introdu o criemos, com materiais reciclados, por exemplo, 3 cofrinhos: um para poupar, outro para gastar e o terceiro para doar. O ideal é que estes cofres sejam transparentes e que possam ser facilmente abertos para que as crianças possam manusear e contar o dinheiro com facilidade.

Compartilhe nas Redes Sociais:

Fonte: DN


Leia também

Como você encara o uso do seu cartão de crédito? Confira algumas dicas para melhor utilizé -lo

O cartão de crédito sempre foi visto como o grande vilé o das finanças pessoais. Mas será que é somente ele ou precisamos identificaré uma melhor forma de utilizé -lo para que ele se torne um aliado ...

Como ter mais controle financeiro?

Ter controle financeiro é conseguir organizar tudo o que entra e o que sai da conta, levando em consideração todas as despesas e contas que devem ser pagas. Apesar de parecer algo simples, não são poucas as pessoas que ...

13é para aposentados – conhe a orient es para usar com educação financeira

Aposentados pelo INSS receberé o a primeira parcela do 13é salário a partir de 25 de agosto. Em meio a recessão economica, é mais indicado quitar dívidas, poupar para o futuro ou aproveitar para consumir? Com educação financeira, ...

Ensine seu filho a economizar

Antes mesmo de aprender matemática, os pequenos Breno, 7, e Arthur, 5, começaram a aprender o valor do dinheiro. "Presentes caros, só em datas especiais, como Natal ou aniversários", conta a mãe, a professora Érica Motta. Além da negociação envolvendo ...

Em 50 anos contingente de idosos passa de 4,7% para 10,8% da População

Ao longo dos últimos 50 anos, a população brasileira quase triplicou: passou de 70 milhões, em 1960, para 190,7 milhões, em 2010. O crescimento do número de idosos, no entanto, foi ainda maior. Em 1960, 3,3 milhões de brasileiros tinham ...