Educação financeira e investimento para toda a fam lia

Nunca é tarde para aprender a controlar gastos, poupar, consumir de forma consciente, e também investir. Para alcançar sucesso com o dinheiro é importante ter conhecimento em finanças. E a educação financeira pode auxiliar na hora de administrar seus rendimentos e garantir qualidade de vida a longo prazo. Como, então, a educação financeira pode ajudar a conquistar essa qualidade de vida?

Segundo o professor do departamento de economia da FAAP e da ESPM/SP Orlando Assunção Fernandes, qualidade de vida pode ser traduzida por maiores recursos adquirido. E com planejamento e organização é possível alcançar uma melhor condição de vida. “Se uma pessoa aprende a controlar melhor seus gastos, sabendo escolher modalidades de crédito mais vantajosas em termos de prazos e juros, economizando recursos e sabendo aplicá-los de forma mais rentável, todas estas ações em conjunto conduzirão a um mais elevado padrão de vida”, explica o especialista.

De acordo com Fernandes, para manter equilíbrio na vida financeira, os gastos precisam permanecer no limite máximo de sua receita, mas se precisar recorrer a créditos, um valor sugerido para não comprometer a renda seria de 30%. “No caso de se utilizar do crédito, isto é, gastar mais do que suas receitas, evitar então modalidades de crédito com juros elevados, como cheque especial e cartão de crédito, bem como também evitar comprometer fatia significativa de sua renda com o pagamento de dívidas”, adverte o professor.

A educação financeira também auxilia na hora de escolher um empréstimo, (para sanar dividas, adquirir algum bem), ou investir na poupança. Quando se tem conhecimento sobre taxas e aplicação mais rentável é possível obter maior retorno sobre o investimento. “Assim, conhecer melhor as facetas das várias modalidades de crédito, bem como também possuir um maior conhecimento sobre alternativas de aplicações existentes, para aqueles que podem e querem poupar, parece-me fundamental”, esclarece Fernandes.

Outra questão que a educação financeira ensina é como diversificar seus investimentos. Ao guardar dinheiro para fazer uma reserva de emergência, Fernandes recomenda “evitar aplicações financeiras com elevado nível de risco, como ações por exemplo”. “Isso porque no momento em que você precisar daquele dinheiro pode ser que o preço das mesmas tenha caído a um patamar inferior àquele em que você as comprou, conduzindo a perdas, eventualmente significativas, do capital investido. Nesses casos, o mais indicado seria então aplicações financeiras de renda fixa que contém com alto grau de liquidez, como títulos públicos ou fundos de investimentos”, explica o professor.

Estabelecer objetivos para controlar gastos pode ser mais fácil com ajuda de um profissional certificado. Há também cursos básicos e gratuitos sobre educação financeira disponíveis na internet nas modalidades online e presencial, como os sites da Bovespa e o da FGV (Fundação Getúlio Vargas).