Educação financeira e tamb m coisa de crian a

Ao contrário do que muitos pais pensa, dinheiro é, si, assunto para crianças! E mais, elas devem aprender a se relacionar com o dinheiro desde muito pequenas. No quesito educação financeira, o Brasil está atrás de outros países. O assunto não conquistou espaço no universo educacional familiar nem escolar. Pessoas mais conscientes financeiramente são mais conscientes para agir no mundo.
O país vem de uma cultura de inflação em que o olhar é pouco voltado para o futuro e mais para o dia a dia. A educação financeira deveria começar dentro de casa porque é a primeira escola. A criança aprende por imitação. O diálogo dentro do universo familiar é fundamental também para a educação financeira.
A "mesada" é uma das principais formas de iniciar as crianças no processo de educação financeira. Ela deve ser negociada de diferentes formas, de acordo com a idade. De zero a 3 anos, os pais devem usar uma mensagem mais sutil para desmistificar o que poderia virar um tabu. De 3 a 7 anos, a criança começa a ter mais consciência da vida. Com essa idade ela já tem capacidade de entender que o dinheiro tem uma origem.
A partir dos 6 anos já é aconselhável a "semanada". Nessa idade, a criança terá mais controle recebendo o dinheiro por semana. A partir dos 7 ou 8 anos, pode-se passar para a "mesada" de fato. Se a criança aprende a cuidar de R$ 1 desde pequena, com certeza quando adulto saberá lidar com R$ 10 mil ou valores ainda maiores com equilíbrio e consciência.