Educação financeira para as crian as

Todos os pais têm dúvidas acerca do momento ideal de dar um cartão para seus filhos, de deixá-los escolher o que desejam do supermercado, sem que isso implique um susto no caixa, do momento propício a dar somente a mesada para eles.

Um novo projeto oriundo de uma parceria entre reguladores (Banco Central, CVM), entidades do mercado (Anbima, Febraban e BM&FBovespa) e educadores promete amenizar esse problema dos pais. A iniciativa prevê, no prazo de 3 anos, a inserção no currículo do Ensino Médio de aulas de educação financeira.

A adesão fica, por enquanto, a critério das escolas, mas é fortemente incentivada pelo Banco Mundial, que apontou a falta de educação financeira como uma das maiores fragilidades de países como o Brasil.

Algumas aulas também estão sendo preparadas já para o Ensino Fundamental, mas devem ainda ser testadas em projetos-pilotos e receber alguns ajustes. O conteúdo previsto inclui desde a noção de necessidade de poupança e planejamento, até empréstimos, classes sociais e juros.