Educação  financeira tamb m e assunto de crian a

Educação financeira tamb m e assunto de crian a

c7e29b51809ffd99f803db4e87cee47d_L

Como driblar a crise financeira não é mais assunto sé de adulto. 40 escolas do estado do Rio de Janeiro incorporaram a educação financeira em sua grade curricular este ano, contra 9 no ano passado. O número pode parecer pequeno, mas é o início de uma nova forma de inserir e ensinar é crianças desde pequenas a como lidar com o dinheiro.

O assunto é abordado nas aulas de forma bastante leve e didé tica, como a infé ncia pede. Mais do que a matemática, elas estão aprendendo o lado humano do dinheiro, a importância de poupar hoje para realizar um sonho amanhé, além de conceitos como consumo, dé vida e poupané
a.

Apostando no futuro

Atualmente o país tem mais de 50 milhões de brasileiros inadimplentes e endividados. Este número é exorbitante e apenas comprova a nossa total incapacidade quando o assunto é a administração das nossas finanças familiares.

Trazer as crianças desde cedo para aprender fará com que a relação delas com o dinheiro seja mais leve e tranquila quando elas tiverem que administrar o seu próprio salário e casa. Além disso, ensinar uma criança é muito mais fácil do que um adulto, que já está cheio de manias e regras enraizadas.

Os efeitos são imediatos

As crianças são mesmo como esponjas, tem uma capacidade muito grande de absorver e aprender qualquer tipo de conhecimento e não seria diferente com a educação financeira. Os relatos dos pais de crianças que já tiveram aulas de educação financeira são impressionantes. Os filhos passaram a questionar a necessidade de comprar; não gastam mais a mesada com bobagens como balas e chocolates; e já perceberam que vale a pena juntar para comprar algo melhor lé na frente.

Além de uma geração com uma educação financeira afinada, as crianças que aprendem a lidar com o dinheiro de forma correta levam os pais a mudarem as suas atitudes. Com uma criança que guarda a sua mesada para comprar um brinquedo no fim do ano os pais se veem na obrigação de abandonar velhos hábitos e com isso todos saem ganham.

é difácil para a maioria dos adultos, mas lidar com o dinheiro não precisa ser um bicho de sete cabe as. E nada melhor para mudar essa relação do que come a-la ainda na infé ncia, quando os pequenos não tem nenhum tipo de compromisso ou responsabilidade financeira. O reflexo disso será um país melhor e mais ajustado para todos!