Educação Financeira – Você tem equil brio?

 Caro leitor, a palavra equilíbrio está diretamente relacionada com a área da física. E você deve estar se perguntando: “Mas o que isso tem a ver com Educação Financeira”? Eu explico. De forma simbólica, relacionamos a palavra equilíbrio com situações que nos mostram harmonia, moderação e principalmente com pessoas equilibradas. 

 
Afinal de contas, uma pessoa que tenha equilíbrio conseguirá passar e superar diversos caminhos, e mesmo caindo, é capaz de manter o controle, ou seja, o equilíbrio. Feita essa consideração inicial, passemos para o campo das finanças. Antes de continuar, leitor, lhe faço uma pergunta: “Terminar o mês com dinheiro na conta é um desafio para você”? Responda para si mesmo. 
 
Infelizmente a maioria das pessoas não possui intimidade nenhuma ou muito pouca com suas finanças pessoais. E claro, muitos nem sabem exatamente quanto gastam e nem quanto ganham. Saiba que uma prática importante para que você possa ser uma pessoa equilibrada com suas finanças pessoais, é a de anotar, seja numa planilha num programa de computador, num aplicativo ou até num simples caderno, todas suas receitas (ganhos) e todas as suas despesas (gastos). 
 
Mesmo coisas pequenas devem ser anotadas, até o simples cafezinho, ou o sorvete que foi comprado numa tarde, bem como pequenos ganhos obtidos, como por exemplo, um trabalho que você fez e ganhou um dinheiro extra. Que tal você separar uma pequena quantia para poupar, já no dia em que você recebe seu salário? 
 
E não existe melhor motivação do que associar o valor que está sendo poupado a um objetivo específico. Pode ser uma meta de até um ano, como fazer uma viage, de dez anos, como a compra da casa própria, ou superior a dez anos, como a aposentadoria. Acima de tudo, nunca guarde dinheiro sem ter um destino correto, pois, qualquer problema ou situação será desculpa para usar este dinheiro. 
 
Para que você consiga adequar suas despesas e ainda para que sobre uma pequena quantia a ser poupada, talvez você tenha que mudar e adaptar seu estilo de vida de acordo com sua realidade financeira. Que tal reduzir o número de jantares fora de casa, ou buscar um desconto no plano de assinatura da TV ou do telefone, ou até conseguir que as taxas bancárias de manutenção de conta e anuidade do cartão de crédito sejam menores? 
 
Ou qualquer outra ideia que tenha para que possa reduzir seus gastos, será sempre bem vinda e sua saúde financeira agradece. Por último, compartilho cinco dicas que podem auxiliá-lo a organizar suas finanças, e que são ditas por diversos consultores financeiros: 
 
1 – Liste as suas despesas e coloque-as em ordem de prioridade; 2 – Entre gastos supérfluos, lazer é o primeiro ponto que você deve rever; 3 – Tente negociar as dívidas para pagá-las com juros menores; 4 – Pague antes as dívidas com juros maiores, pois estas crescem mais rápido; e 5 – Depois de se organizar financeiramente, busque jamais gastar sem ter um controle prévio. É importante que você desenvolva uma disciplina e, além disso, tenha consciência de como seu dinheiro está sendo gasto. Desejo ao leitor, sucesso financeiro. E até a próxima!