Empr stimos feitos por idosos são por impulso ou para outras pessoas

Aparentemente atrativas, as ofertas de empréstimos para aposentados e pensionistas têm deixado cada vez mais pessoas endividadas, numa faixa etária em que as pessoas deviam estar desfrutando de suas aposentadorias. Dados do Conselho Municipal do Idoso (Comid) de Lages apontam que cerca de 70% dos empréstimos feitos por idosos são por impulso ou para terceiros e, por causa disso, o índice de inadimplência cresce a cada dia. A promessa de conseguir dinheiro com facilidade, com baixos juros e um longo prazo para pagar, faz com que cada vez mais aposentados façam empréstimos sem necessariamente estar precisando do dinheiro.

Osni Linder, membro do Comid há sete anos, ressalta ainda que é comum o idoso fazer empréstimos em seu nome visando benefício de netos ou filhos, e acabam em maus lençóis por isto. A vice-presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Lages (AAPL), Zoenir Amaral, acredita que a oferta de dinheiro fácil, aliada ao fato de que muitas financiadoras oferecem o serviço apenas visando o cumprimento de metas, são os principais fatores que levam o idoso ao endividamento.

Pensando nessa situação, a Confederação dos Aposentados e Pensionistas do Brasil (Cobap), juntamente com a Federação dos Aposentados e Pensionistas de Santa Catarina (Feapesc) e Associação dos Aposentados e Pensionistas de Lages (AAPL) se uniram para desenvolver e apresentar ao senado federal e autoridades competentes, propostas de projetos que visem à punição às empresas que desrespeitarem os direitos dos idosos ao oferecerem empréstimos aleatoriamente.