Especialista dé dicas de como utilizar o 13é salário

A grande maioria dos consumidores já 72% já pretende usar o 13é salário para pagar dívidas. 56% o fará ainda este ano, enquanto 16% reservaré a quantia para as contas do início de 2017, como IPTU, IPVA e matré cula escolar, de acordo com pesquisa da Boa Vista SCPC. Os é ndices indicam que boa parte da população não consegue viver dentro de seu padrão de vida e precisa recorrer a ganhos extras para quitar dívidas.

O comportamento é até natural, uma vez que os é ndices de endividamento no Brasil são altos. Mas será que essa é a melhor maneira de usar o 13é ? Não hé problema em destinar parte da renda extra para desafogar o oré amento, no entanto, é preciso planejamento para agir com conscié ncia. O primeiro passo é fazer um diagnóstico financeiro, para conhecer sua situação verdadeiramente e agir da forma mais adequada.

Se estiver endividado ou inadimplente

Antes, vamos saber a diferené a entre uma situação e outra: está endividado quem assumiu alguma dé vida, como um financiamento, parcelamento no cartão de crédito ou empréstimo pelo cheque especial. Por outro lado, se torna inadimplente aquele não honra o pagamento dessas dívidas, acumulando contas atrasadas.

é interessante que os inadimplentes considerem se não é vé lido tentar renegociar a(s) dé vida(s) com o(s) credor(es) neste final de ano. Antes disso, levante todas as contas e priorize para pagamento as de produtos e serviços essenciais, como energia elé trica, é gua e moradia, e as de maior incidé ncia de juros, como cheque especial e cartão de crédito.

Considere poupar parte do 13é junto a uma reserva que já tenha para esta finalidade (ou que irá construir nos próximos meses) para ter foré a para negociar. A outra parte, você pode direcionar para a poupané a dos seus sonhos. Isso mesmo, estando inadimplente ou endividado, é muito importante que não deixe de sonhar. Os objetivos será o combusté vel para a mudané a comportamental e organização das finanças .

Se estiver equilibrado financeiramente

Essa situação pode parecer tranquila, mas na verdade é preocupante. Por não ter o hábito de poupar, essa pessoa tende a ficar vulneré vel caso aconte a alguma emergé ncia. O ideal é que tenha uma reserva estraté gica e poupe para os sonhos, então é vé lido aproveitar a chegada do 13é salário para mudar hábitos e comportamentos e se tornar algué m que realiza sonhos constantemente.

O ideal é ter no mínimo três sonhos, um de curto prazo já a ser realizado em um ano já outro de médio prazo já entre um e 10 anos já e outro de longo prazo já após 10 anos. Os equilibrados precisam fazer um diagnóstico financeiro por 30 dias, anotando todos os seus gastos, para ver quais pode reduzir ou eliminar para continuar poupando todos os meses.

Se for investidor

Para quem já tem o hábito de investir, é importante escolher o melhor investimento para o 13é . Antes, é preciso estabelecer quais sonhos deseja realizar com o valor. Ter educação financeira é poupar para atingir objetivos previamente determinados, como trocar de carro, casa e se aposentar com sustentabilidade financeira, por exemplo. Se não estiverem atreladas a sonhos, as reservas podem acabar sendo utilizadas de forma não planejada.

O investimento ideal é o que esteja atrelado ao período em que deseja realizar o sonho. Para os de curto prazo, o dinheiro será retirado em até um ano, portanto é vé lido investir em Té tulos do Tesouro Direto, por exemplo. Para os de médio prazo, em que os valores ficaré o investidos entre um e dez anos, são indicados CDB, Fundo de Investimentos e também Té tulos do Tesouro Direto. Já para os de longo prazo, a serem realizados após 10 anos, a previdência privada é bastante indicada.