Finanças pessoais – Como fazer sobrar?

O resultado positivo na gestão das contas pessoais independe do tamanho do seu oré amento. Todos podem fazer sobrar, dependendo de uma boa administração. Este artigo é para você que trabalha, paga as contas e não vé o dinheiro sobrar.

Vou demonstrar as seguir, como isto é possé vel, atravós de vé rias dicas:

1 – FA A UM ORé AMENTO: Prepare um planejamentomensal, listando seus ganhos lé quidos no topo da planilha e todos os gastos a seguir. Pense bem para não esquecer nenhum item neste oré amento.

2 – ESTABELEé A PRIORIDADES: Defina claramente quais são suas prioridades inegocié veis e também aquelas em que você pode reduzir ou suspender se necessério. Coloque em ordem de importância e prioridade. Você pode classificar os dispé ndios como: A) Fundamentais. B) Importantes. C) Negocié veis. Você não deve perder muito tempo com os fundamentais, mas sim colocar sua lupa nos itens importantes e negocié veis, onde você conseguiré revisé -los.

3 – DEFINA OBJETIVOS: As metas são importanté ssimas para você poder enquadrar os valores e gastos dentro do oré amento. Este resultado deve ser desafiador, poré m realista. Aqui você precisa destacar o tamanho das sobras desejadas, antes mesmo de fechar o oré amento, pois aqui você poderé ser obrigado a rever itens de gastos até então anotados.

4 – POUPAR SEMPRE: Crie a cultura de guardar dinheiro. Não espere grandes entradas de recursos para poupar. Faça a economia de forma habitual.

5 – REALIZE O CONTROLE DOS GASTOS: Faça a apenas os gastos que você pode fazer. Respeite o previsto no oré amento, por menor que seja o dispé ndio. Não caia na tentação imediatista de colocar recursos onde não foi previsto.

6 – CONTROLAR Dé VIDAS: O ideal é não contrair dívidas, pois significa gastar agora recursos que poderé o vir no futuro. Se realmente for indispensé vel a dé vida, observe bem o custo e as condié ões de pagamento. Escape das dívidas caras.

7 – FUJA DO CRé DITO Fé CIL E CARO: Existem muitas ofertas de créditos com destaque apenas para as muitas prestações com valores aparentemente baixos que podem se encaixar no seu oré amento. Em geral estas ofertas incluem e escondem juros altos, se comparados com compras a vista.

8 – EFETUE BOM USO DOS RECURSOS: Considerando que você tem limitação na entrada dos recursos, bem como tem objetivos com sobras, você deve ser muito criterioso ao aceitar qualquer gasto. Faça a uso racional dos seus escassos recursos. Valorize o seu dinheiro.

9 – EVITE DESPERDé CIOS: Estabele a uma rotina de avaliar possé veis esbanjamentos e inutilidades. Tudo que não for de fundamental importância, pode e deve ser evitado. Evite comprar em quantidades exageradas, observe o vencimento dos produtos. Adquira o que de fato será totalmente consumido.

10 – TROQUE Dé VIDAS CARAS: Se tiver dé vida cara, procure trocar por outra mais barata. Existem vé rias formas de se financiar, e com certeza você encontraré a mais adequada ao seu caso. Apure o custo mensal efetivo de sua dé vida e avalie esta possibilidade.

11 – PAGUE SUAS CONTAS EM DIA: Estabele a o hábito de quitar seus compromissos sempre nas datas estabelecidas. Não vale a pena assumir obrigações que não tenha condié ões de cumprir. As contas não pagas nas datas previstas, trazem incomodo e retrabalhos ao devedor.

12 – COMPRE A VISTA COM DESCONTO: Considerando a real necessidade de comprar, procure juntar recursos antes, para adquirir a vista com bons descontos. Normalmente você consegue negociar boas vantagens, quando está com o dinheiro para pagar a vista.

13 – COMPARE PREé OS ANTES DE COMPRAR: Realize ampla coleta de pre os antes de decidir pela compra. Evite comprar por impulso. Nem sempre aquilo que parece uma é tima oportunidade, realmente se confirma. Você pode oré ar por telefone, pela internet, enfim atualmente é fácil de comparar pre os.

14 – CONVERSE COM A FAMé LIA: Todos os que dependem destes seus recursos, precisam estar alinhados com os objetivos e desafios estabelecidos no oré amento. Coloque sua família em sintonia com os mesmos sonhos.

15 – USE SELETIVAMENTE O CARTé O DE CRé DITO: O cartão de crédito é um importante instrumento e deve ser usado de forma racional. Simplesmente usar porque está jogando o pagamento para algum tempo a frente, não é uma boa forma de gerir seus recursos. Recomendo manter o cartão de crédito, cultivar o limite e sempre ampliar, se possé vel, mas fazer uso sempre de forma inteligente.

16 – AJUSTE O PADRé O DE VIDA: Você deve enquadrar sua família ou seus dependentes, ao tamanho do planejamentovié vel. Execute apenas que pode ser feito. Evitar fazer ou adquirir algo, apenas para mostrar a outrem ou porque algué m próximo adquiriu. O padrão de gastos acima do vié vel, com certeza lhe traré sé rias consequé ncias. Um padrão uma vez estabelecido é muito difácil de ser reduzido. Mesmo que você consiga aumentar suas receitas, reflita muito antes de aceitar uma melhora no nível de gastos.

17 – INSTITUA RESERVA PARA EMERGASNCIAS: Reserve uma parcela dos seus ganhos para futuras emergé ncias. Você pode definir tipo 5 a 10% de sua renda lé quida mensal, para acumular, reservar para as emergé ncias. Os imprevistos podem ser uma gravidez, doené a, curso, viage, entre outros.

18 – DEFINA FUNDOS PARA APOSENTADORIA: No período produtivo no trabalho, é o momento de juntar recursos para o tempo em que você não estiver mais trabalhando. Você precisa pensar na aposentadoria já desde o inicio da temporada laboral. Estabelece meta de uns 5 a 10% de seus ganhos para este fim. Não dependa apenas da previdência oficial, pois cada vez podemos contar menos com ela.

19 já DECRETE O SOBRA DESEJADA: Estabele a o tamanho da sobra esperada. Se você não definir e não controlar, com certeza você não conseguiré . Mesmo que seja difácil num primeiro momento, siga as instrué ões aqui colocadas que você terá importantes avanãos. Dependendo de seus planos e no está gio profissional em que estiver, sugiro estabelecer resultado de pelo menos 5 a 10% para sobras efetivas finais do seu oré amento. Esta reserva poderé lhe ajudar muito para eventual mudané a de planos, lhe proporcionando certa independé ncia ao tomar suas decisões.

20 já APRENDA A INVESTIR: Com recursos guardados para emergé ncias, aposentadoria e reserva você precisa buscar mais informações sobre a aplicação. O grande desafio é rentabilizar os fundos acumulados. Observe a rentabilidade lé quida, que deve proteger da inflação e apurar ganhos reais. Existem vé rias opé ões disponé veis no mercado financeiro.

21 já REVISE O PLANO: Assim que fechar o mês, analise seu desempenho do mês anterior, bem como, reformule o plano para o mês seguinte. Sua verificação deve ser bem criteriosa e realista. Procure não arrumar desculpas para si mesmo. Faça a o que precisa ser feito para alcané ar seus objetivos.

22 já SEJA DISCIPLINADO: Uma vez estabelecido o plano, você precisa se conscientizar que sé funcionaré se você estiver muito firme nos seus propósitos. Os objetivos aqui definidos por você, devem ter um peso muito importante, a ponto de fazer com que os demais gastos se submetam ele.

Você precisa encarar o seu dinheiro de forma mais té cnica e profissional. Atuando organizadamente, seus objetivos viraré o realidade. Seguindo as sugestões acima colocadas, certamente você conseguiré apurar resultados positivos em suas finanças pessoais. Acredite e coloque em prática, que os resultados viré o.