Fundos de pensão ampliam capt é o de participantes

 Os fundos de pensão instituídos, aqueles formados por sindicatos e associações de classe, elevaram a captação de participantes nos últimos anos, segundo a Abrapp, que reúne entidades fechadas de previdência complementar. A modalidade, que foi regulamentada há cerca de dez anos, ainda está longe do limite de seu potencial, segundo Devanir Silva, superintendente da associação."Temos em torno de 500 planos nesse tipo de origem. Mas só o número de sindicatos no Brasil é de 5.000", diz. "Essa é uma possibilidade que até pouco tempo atrás não existia. Se a pessoa não estivesse em uma empresa que oferece plano, só poderia fazer na previdência aberta, por banco ou seguradora." A OABPrev-SP, plano de previdência dos advogados de São Paulo, é o maior fundo de pensão instituído do país em número de participantes, com mais de 25 mil advogados. "As OABs têm forte potencial porque a base é grande, com cerca de 700 mil advogados no Brasil, e porque faz um trabalho de disseminação da cultura", diz Luis Ricardo Martins, presidente da OABPrev-SP, que registra hoje em torno de 400 adesões ao mês. Na Unimed-BH, são cerca de 5.000 médicos associados da operadora mineira, que ocupa o segundo lugar em investimentos no ranking. "Temos crescimento consistente, com a entrada de cerca de 200 médicos todo ano. Quase 100% entra no fundo de pensão", diz Luiz Otávio Andrade, diretor da entidade.