Futuro garantido

 

Cada vez mais – e mais cedo – os pais estão investindo em previdência complementar para seus filhos menores. Dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi) de agosto deste ano mostram que houve um crescimento de 14,35% em relação ao mesmo período de 2011. Em todo País, a arrecadação dos planos para pessoas menores de idade chegou a R$ 1,235 bilhão de janeiro a agosto deste ano. O objetivo dos pais que investem na previdência privada é garantir a formação e inserção dos seus pupilos no mercado profissional. A Fenaprevi, instituição, que reúne 74 sociedades seguradoras e 30 entidades abertas de previdência complementar, estima que o Nordeste seja responsável por cerca de 12% desse valor.

 

Esse crescimento é resultado de uma conjunção de fatores, como juros baixos, estabilidade econômica e mudança na pirâmide social, que causou a ascensão da classe média. Dos 11,1 milhões de planos contratados no País de janeiro a julho, cerca 7,58% (845.306) é para menores de 18 anos. E, ainda de acordo com a Federação, a idade média dos beneficiários de planos voltados para jovens vem caindo, tornando-se mais comum fazer uma previdência para o filho assim que ele nasce.