Infidelidade financeira pode ser catastré fica

Casar e ter uma vida a dois implica uma série de responsabilidades. Entre elas, está o controle das finanças, que precisa ser feito da maneira adequada, para que o casal não enfrente problemas com o orçamento e acabe tendo a própria relação estremecida.
De acordo com o especialista em finanças pessoais da MoneyFit, André Massaro, um problema que pode parecer inicialmente inocente, mas que acaba tendo efeitos destrutivos no casamento, é a infidelidade financeira.
Ela acontece quando um dos cônjuges (ou os dois) esconde informações financeiras do outro. “Podem ser coisas pequenas e aparentemente insignificantes, como comprar um sapato novo e dizer para o marido que comprou em uma liquidação, por metade de preço (ou ganhou de alguém), até algo mais sério, como ocultar por muito tempo uma dívida gigantesca que compromete as finanças e o futuro da família”, afirma. “Os efeitos da infidelidade financeira podem ser catastróficos”, alerta.
Ele lembra que uma dívida que cresce descontroladamente, por exemplo, pode afetar a relação do mais apaixonado dos casais. “Outros deslizes, como a mulher que compra um sapato escondido ou o marido que utiliza parte das reservas do casal para comprar um novo ‘gadget’ eletrônico, podem ter um impacto financeiramente pequeno, mas criam uma fissura perigosa na confiança do casal”, afirma o especialista.
Tipos de infidelidade financeira
Mas a infidelidade financeira não é caracterizada apenas por compras e endividamentos. “Muitas pessoas mantêm reservas, poupanças e ‘contas secretas’ escondidas de seus cônjuges”, diz Massaro
Segundo ele, isso pode acontecer por várias razões, como a desconfiança na capacidade de gestão financeira do cônjuge. “É o caso daquela mulher que mantém uma ‘poupança secreta’ para garantir o conforto da família, imaginando que o marido ‘ousado’ vai quebrar a qualquer momento”, exemplifica.
Para desencorajar a infidelidade financeira, o especialista aconselha que o casal adote um procedimento de planejamento e controle financeiro que envolva os dois. “Uma espécie de reunião financeira mensal, onde o casal, em conjunto, revisa as contas e os planos”, aconselha.