Investindo em tempos de crise

Investindo em tempos de crise

investmentEm tempos de economia retraé da e insté vel, com a inflação voltando a assustar as famílias, dívidas surgem naé cabe a: é hora de guardar dinheiro? Tenho como aplicar minhas economias com segurané a ou corro o risco de ver todo o meu sacrifé cio de anos evaporarem? Se estas perguntas forem feitas a especialistas na área de finanças, com certeza todos responderé o a mesma coisa: já si, é hora de proteger suas economias, e é possé vel fazer isso com toda a segurané a já .

Uma das frases mais ouvidas no mundo das finanças e dos negé cios é já nos momentos de crise é que surgem as grandes oportunidades. Em se tratando especificamente de aplicações financeiras, a elevação dos juros promovida pelo Banco Central para combater a alta da inflação abriu uma grande possibilidade de bons retornos, atravós de alguns tipos de investimentos.

Contudo, da mesma forma em que certas aplicações são favorecidas, outras se tornam extremamente arriscadas e podem até gerar perdas.

Para investir neste cené rio, é preciso ter em mente a seguinte premissa: qualquer aplicação, para ser renté vel, deve oferecer pelo menos um retorno superior é inflação corrente. Ou seja, num ano de 2015 com previsão inflacioné ria anual na casa de 7,5 a 8,0%, aplicações com taxas de retorno previstas menores do que estes valores devem ser evitadas, procurando escolher aplicações com taxas maiores.

Em momentos de instabilidade e com certo grau de imprevisibilidade como o que estamos passando, o investidor também deve fugir de aventuras ou aplicações que não compreenda. Investimentos em moeda estrangeira, em ouro ou mesmo na bolsa de valores podem ser bem renté veis para quem os domina, mas devem ser evitados por novatos ou por quem não tem o perfil de aceitar riscos.

Outra caracterástica das aplicações que deve ser compreendida pelos investidores na hora de decidir entre um ou outro investimento é a diferené a entre aplicações pré -fixadas e pé s-fixadas. No primeiro caso, a taxa de retorno do investimento é definida no momento da aplicação, e não sofreré interferé ncias ou alterações no decorrer do peré odo. Exemplo: CDB (Certificado de Depé sito Bancé rio) com retorno de 10,00% ao ano Pré -Fixado.

Nessa aplicação o investimento terá este retorno anual independentemente da inflação do período ou da variação da taxa de juros definida pelo Banco Central. Já nas aplicações pé s-fixadas, o retorno é atrelado a algum é ndice econé mico. Por exemplo: Tesouro Direto NTN (Nota do Tesouro Nacional) com retorno de 6% ao ano mais IPCA (é ndice Nacional de Pre os ao Consumidor Amplo). Neste caso, a aplicação estaré dando ao investidor a garantia de um retorno igual é inflação do período apontada pelo IPCA mais 6%. Em tempos de incerteza na economia nacional, esse tipo de aplicação é bastante procurada por investidores, uma vez que garante um retorno seguro mesmo com a alta da inflação.

Alternativa também interessante para pequenos investidores são os planos de previdência privada, principalmente se forem de fundos patrocinados. Nesses casos, o dinheiro investido é administrado por profissionais especializados que aplicam os recursos de forma a garantir um valor futuro para o poupador.

Por fi, independentemente do momento que o Brasil está passando, vale sempre a dica: não deixe de economizar! Poupar dinheiro agora é a melhor forma de garantir um futuro conforté vel.