Maioria de advogados não contribui com previdência privada

A OABPrev-RJ realizou uma pesquisa com cerca de 900 advogados cariocas para saber como eles estão cuidando da sua previdência complementar. O levantamento, realizado entre os dias 20 de março e 13 de abril, contou com advogados entre os 22 e 45 anos, sendo 52,59% de mulheres. Sobre a preocupação com a aposentadoria, 87,53% responderam que se preocupam com este período da vida, mas 25,68% não contribuem nem para a previdência pública, o INSS.
Os dados relevam que os advogados ainda não têm a cultura da previdência complementar, o que é necessário para assegurar uma aposentadoria confortável. “A maioria dos advogados atua de forma autônoma, por isso, muitas vezes não fazem contribuição para o INSS e não disponibilizam recursos mensais para uma reserva para o futuro. O que nós queremos é desenvolver um programa de educação previdenciária junto ao nosso público-alvo, ajudando-o a iniciar o seu plano de previdência”, conta o presidente da OABPrev-RJ, Alexandre Albuquerque.
A avaliação da pesquisa mostrou uma relação entre a idade e a decisão de não contribuir para previdência complementar. Do total de entrevistados, cerca de 40% estão entre os 22 e 30 anos e 35,64% disseram que não fazem reservas para a aposentadoria porque são muito novos para pensar no assunto. “O objetivo é mostrar para esses advogados que quanto mais cedo eles começarem a poupar, maiores serão as reservas para a aposentadoria”, acrescenta Albuquerque.