economia-mulher-planejamento

Na busca por uma vida saudável muitas pessoas se deparam com o lado financeiro do novo estilo de vida. O valor da academia, de uma boa alimentação e da suplementação pode assustar muitas pessoas que pouco conhecem sobre saúde e bem-estar.

No post de hoje, nós tentaremos desmistificar alguns pontos principais sobre essa grande questão. Afinal de contas, é mais interessante comprar remédios ou ir à academia? Continue a sua leitura para descobrir a resposta!

O preço da saúde

Bem, antes de mais nada é fundamental dizer que a saúde não tem preço. Aliás, a maioria das pessoas já deve ter ouvido essa expressão em algum lugar. Então porque a dúvida na hora de investir no próprio corpo?

De maneira curiosa, a maioria de nós só passa realmente a se preocupar com a saúde e com o bem-estar no momento em que enfrentamos alguma dificuldade.

Somente com o chegar da doença que percebemos a importância de se conseguir realizar todas as tarefas diárias sem nenhum tipo de impedimento. Afinal, nossa qualidade de vida está intimamente relacionada com a facilidade que temos em desempenhar nosso papel na sociedade e os nossos desejos pessoais.

É provável que você não queira se tornar um(a) atleta de alto nível, mas é importante mencionar que os benefícios dos exercícios físicos são extraordinários, e sem dúvida, são capazes de fazer com que você tenha uma vida longa e livre de doenças crônicas, como a diabetes, por exemplo.

Inclusive, algumas dessas doenças podem simplesmente destruir o seu rendimento no trabalho e na vida pessoal, o que mais uma vez resulta em um grande questionamento a respeito do “preço” de uma vida sedentária.

O custo de uma vida sedentária

Acabamos de mencionar que a vida sedentária tem um preço. Você saberia dizer qual seria? Para citar alguns, nós podemos falar sobre o alto custo com consultas médicas, plano de saúde e principalmente com medicamentos.

Inclusive, a alta variação no preço dos remédios (que aconteceu após o reajuste autorizado pelo governo no início deste ano) tem sido motivo de alarde para muitas pessoas que não podem viver sem seus medicamentos.

Apenas para citar novamente o exemplo da diabetes, imagine-se sem dinheiro para comprar insulina ou para conseguir reabastecer o seu medidor de glicose com as “fitinhas” de medição. Uma situação completamente desesperadora, principalmente pelo fato de sua vida depender diretamente desses itens.

Isso sem falar o custo com uma alimentação diferenciada e com outros remédios que podem complementar todo o seu quadro clínico.

Atividades físicas como a corrida ou a natação podem tranquilamente reduzir o risco da diabetes e de outras doenças, e no final, os custos sobressalentes com quaisquer tipos de produtos seriam ínfimos se comparados com uma saúde debilitada.

Ainda é possível ressaltar que ao praticar exercícios físicos regularmente você passa a se sentir bem consigo mesmo, tendo maior autoestima, confiança e bem-estar: e tudo isso, claro, o dinheiro não compra.

Compartilhe nas Redes Sociais:

Fonte: Finanças Forever


Leia também