O que você vai ser quando…aposentar?

Quando éramos pequenos, sempre ouvíamos aquela pergunta: “O que você vai ser quando crescer?”. Para uns, a pergunta gerava um gosto amargo na boca, pois muitas vezes não tínhamos nem idéia do que queríamos ser. Simplesmente escolhíamos uma profissão qualquer, mas de respeito, do tipo “advogado”, “médico”, “engenheiro”, para não decepcionar ninguém.
 

Já para outros, aqueles que pareciam ter nascido já sabendo o que iriam fazer, a resposta saía mais harmoniosa e confiante.

Enfi, muitos anos depois, já adultos e com uma profissão (não necessariamente a de nossas respostas…), achamos que aquela pergunta finalmente parou de nos perseguir. Mero engano. Ela continua lá, só que agora um pouco diferente. “O que você vai ser quando se aposentar?”.

Quando estamos com 20, 30 e até 40 anos, pensamos muito pouco em nossa aposentadoria. Isto é natural, visto que estamos em nossa plena capacidade de produzir, gerar riqueza, conquistar promoções e curtir a vida. A velhice é algo ainda distante, e quando pensamos nela é sempre de uma maneira muito sonhadora, quase como um comercial, daqueles em que aparece um casal de idosos, muito saudáveis, em uma praia de areia branca finíssima, tomando algo refrescante, vestindo roupas brancas, e muito felizes! E fechamos este sonho com a frase “não vejo a hora de me aposentar”.

Bo, então é melhor começar a cuidar de sua aposentadoria já. Neste caso, o futuro já começou ontem!

A nossa expectativa de vida está aumentando cada vez mais, graças ao desenvolvimento da medicina e das condições de vida. No Brasil, a expectativa de vida média cresceu de 69,3 anos em 1997 para 72,7 anos em 2007. Si, mais de 3 anos em somente uma década.

À medida que você envelhece, a sua capacidade de trabalho e, conseqüentemente de gerar renda, tende a diminuir. Existem exceções, claro, como o caso de Oscar Niemayer, que ainda trabalhava aos 100 anos. Mas você não pode contar com isso.
Ao mesmo tempo, começam a aumentar as despesas com médicos, remédios e prevenção de doenças.

Por isso é tão necessário começar já a acumular o dinheiro para a sua aposentadoria, para que tenhamos uma poupança que possa nos sustentar quando já não tivermos tanta força (ou vontade) de trabalhar por um salário. Vale fazer planos de previdência ou guardar e investir o dinheiro por conta própria. O importante é planejar-se muito bem e conhecer as diversas opções no mercado financeiro.

Para ilustrar a importância deste planejamento, temos a já famosa história real de Jorginho Guinle, “socialite e playboy” brasileiro, que herdou uma riqueza muito grande de sua família, aproveitou muito a vida em festas e gastanças, e morreu pobre. A ele é atribuída a frase: “Planejei gastar para viver até os 80. Já estou com 87 e me dei mal”.