Planejamento Financeiro

 Um plano representa o desejo ou aspiração de um indivíduo, um grupo ou uma organização para o que se espera que aconteça durante determinado período, com intuito de atingir determinado ponto. Dessa forma, planejar representa o ato de atuar no presente para que o futuro seja o mais próximo possível dos objetivos pretendidos. O planejamento por si não garante o êxito, mas sua ausência torna mais difícil a realização, uma vez que o plano serve como mapa para o caminho a ser percorrido.

Em se tratando do âmbito financeiro, esse plano é ainda mais indispensável. Gestão financeira é mais que o simples fato de receber e pagar. Ela envolve toda movimentação de recursos que se dá entre os indivíduos, as empresas e o governo. Deve ser sustentada por um bom planejamento.

Nas empresas esse planejamento envolve muitas variáveis, pois antes do plano financeiro propriamente dito, outros devem ser elaborados. E todos os planos devem estar alinhados ao planejamento estratégico da organização, com seus objetivos, metas e politicas. Nesse caso o planejamento financeiro, representa a junção dos demais planos, agora quantificados, transformados em números, donde se têm a visão se as atividades programadas tendem a gerar lucros, de onde virão os recursos para sustentar as atividades, qual o custo dessas atividades, o fluxo de caixa do período.

Já para o caso do planejamento financeiro pessoal ou familiar, essa conjuntura é um tanto mais simples, porém não menos importante. Simples porque a estrutura familiar é menos complexa, as partes envolvidas não são numerosas e, via de regra, os objetivos são comuns. Também é mais simplificado o processo de planejamento, envolve menos variáveis que as empresas. No entanto, talvez por esta simplificação, muitas famílias e indivíduos não adotam o hábito de planejar.

Parte da ausência dessa prática pelos indivíduos e famílias está relacionada a questões culturais, que envolvem desde falta de educação financeira à regras familiares que se perpetuam ao longo do tempo. Embora hoje a gestão da família esteja cada vez mais compartilhada ainda há muito a ser feito para que a cultura da gestão dos recursos financeiro domésticos seja de fato tratada como um assunto de família.

Nas famílias da civilização antiga, quando o dinheiro ainda não existia, havia um sistema de orçamento muito eficaz, quando as famílias e tribos, projetavam quanto de alimento precisariam para o período do inverno, garantindo assim a subsistência. Ainda hoje, se usa essa prática, embora em menor escala, dadas grandes transformações da civilização. O fato é que, a programação, o planejamento, a previsão do que se pretende alcançar, representa uma ferramenta importante, até imprescindível, para obtenção do sucesso esperado.