Presente de Natal: cinco dicas para comprar sem se endividar

Mais um ano que passou voando, não? Já estamos em dezembro e, como não poderia ser diferente, é hora de pensar (e comprar) no presente de Natal e também época de presentear amigos, parentes e colegas com o tradicional amigo secreto. Não há como negar que trata-se de um período muito especial.

A felicidade do momento e a vontade de presentear são sempre grandes, mas precisam ser tratadas de forma inteligente e de acordo com os limites financeiros de cada um. É muito comum deixarmos para pensar nessas compras apenas no ultimo momento, quando ficamos sujeitos à vontade do vendedor e quase sem nenhum poder de barganha. É quando o presente de Natal pode se transformar em um pesadelo de Ano Novo.

Neste sentido, preparei cinco dicas que certamente o ajudarão a comprar e preservar a conta no azul não só agora, mas também no começo do ano que chega. Confira:

1. Organize-se e defina um valor que poderá utilizar para o presente de Natal de acordo com seu orçamento. Vai precisar usar o seu cartão de crédito para parcelar algumas compras? Sem problemas, desde que você tenha isso tudo anotado e saiba realizar o controle de suas finanças de forma eficiente.

A ideia aqui é que você lance todas as despesas e receitas em um orçamento doméstico bem feito e registre cada passo que der em torno das compras de final de ano. Além disso, é importante analisar se os limites não estão sendo ultrapassados.

2. Considere a Internet sua aliada. A web é uma ótima opção para comprar o presente de Natal. O mercado de e-commerce está cada vez melhor estruturado e as grandes redes costumam oferecer preços melhores em relação às lojas físicas, além de dias especiais com bons descontos e promoções. O “X da questão” é justamente antecipar as compras para não correr risco de não receber a mercadoria depois da data desejada.

Mas atenção com a escolha da loja. Desconfie se o preço parecer muito baixo e evite lojas que não tenham sido avaliadas por usuários e empresas certificadoras. A Fundação Procon (SP) divulgou uma lista com empresas que não são recomendadas. Lembre-se: quando a esmola é demais, o Santo desconfia.

3. Evite o pensamento simplista tipo “as parcelas cabem no bolso”. Pensar apenas nas parcelas, e não em seu impacto no orçamento, é um perigo para as finanças, pois dá uma falsa sensação de controle e sempre permite que inventemos justificativas para “encaixar” mais essa e aquela compra no mês. Comprar o presente de Natal dessa forma implicará um começo de ano com dívidas, o que não é nada legal (nessa época temos IPVA, IPTU, material escolar e outras despesas).

A contabilidade mental é um perigo. As contas feitas de cabeça serão sempre favoráveis ao que mais desejamos, que é consumir mais, o que resultará em estouro no orçamento e endividamento. Logo, o controle nesse item é fundamental. A solução? Anote tudo e tome decisões respeitando suas reais possibilidades (seu orçamento doméstico).

4. Peça desconto sempre. Uma venda só é concretizada quando existe a vontade das duas partes. Se o preço não está de acordo com o que você considera justo, use todo seu poder de persuasão para chegar a um preço justo na hora de comprar o presente de Natal. Nessa hora, vale tudo: leve promoções de lojas concorrentes, peça para falar com o gerente, negocie, barganhe e, se necessário, saia sem comprar.

Some ao bom pedido de desconto sua intenção de pagar à vista e insista. Pesquise preços e exija sempre um desconto. Afinal, você é quem gastará e a loja tem muito interesse em vender para você.

5. Se puder esperar, espere! Os preços são muito mais baixos depois que todo o agito passa. Esperar a virada de ano pode ser uma boa opção para quem sabe lidar com a frustração. Esse exercício é interessante e o fará enxergar as melhores possibilidades de compra e os melhores preços e condições comerciais.

Em janeiro, depois da grande demanda do final do ano, muitas lojas oferecem promoções e ótimos descontos para acabar com o estoque e poder renovar seus produtos e novidades. Quem sabe esperar, paga mais barato.