Saé de Financeira: Aposentadoria e filhos

Como administrar as finanças para não comprometer o orçamento

O tempo passou e chegou o momento de curtir a aposentadoria, mas em algumas famílias o momento de deixar a vida laboral pode coincidir com uma fase de instabilidade financeira dos filhos que, às vezes, mesmo crescidos e criados voltam a morar com os pais para aliviar o bolso.
De volta para a casa
Para André Massaro, consultor de finanças do Money Fit, conciliar os interesses dos pais aposentados com os dos filhos que retornam para casa não é algo fácil, pois na maioria dos casos é um imprevisto. Além disso, os pais, teoricamente, criam os filhos para serem livres e independentes.
"Quando algo assim acontece é preciso que os pais tomem medidas defensivas em relação ao seu patrimônio e sua renda para que a aposentadoria não seja irremediavelmente comprometida. Entre essas medidas pode até mesmo se considerar o retorno dos pais aposentados ao mercado de trabalho, para gerar renda extra que compense os gastos que irão surgir com o retorno do filho", indica Massaro.
Emprestar ou doar dinheiro aos filhos?
Pio Mielo, educador financeiro e autor da cartilha "Educação Financeira para Jovens", afirma que emprestar é mais interessante.
"Claro que tudo é uma questão de quanto os pais têm. Poré, o empréstimo gera mais responsabilidade aos filhos, que terão prazos e datas para pagamento. Agora, é claro que não é necessário cobrar juros de mercado. É apenas uma maneira de manter regular a saúde financeira da casa, dos pais e dos filhos e cultivar a semente da educação financeira".
Mas Massaro alerta: "Emprestar dinheiro para parentes é normalmente sinônimo de problemas. É uma orientação comum da maioria dos especialistas em finanças pessoais que empréstimos a familiares sejam tratados como doações, para evitar stress e situações desconfortáveis e embaraçosas. Mas, como estamos falando de uma questão familiar e não financeira é preciso que as regras e práticas, ou seja, a cultura familiar seja respeitada", relembra.
Alguns cuidados para manter o orçamento familiar em dia
Para Massaro, os pais devem tentar adequar as despesas à realidade da renda que eles têm e tomar o cuidado para não virarem reféns do mercado de crédito. "É importante lembrar que o empréstimo consignado para aposentados é uma das modalidades de crédito mais populares entre os bancos, pelo risco relativamente baixo, mas pode ser rui, pois raramente os pais conseguem aumentar a renda e ficam presos em um ciclo vicioso financeiro", alerta.
Segundo o consultor, aqueles que estão aposentados pela previdência pública ou contam com o respaldo de planos de previdência que garantem uma renda vitalícia estão, ao menos em teoria, mais tranquilos. Nesses casos, deve haver uma adequação das despesas para a realidade da renda que eles têm e tomar cuidado para que não virem reféns do mercado de crédito.
Para Massaro, aqueles que estão aposentados pela previdência privada aberta, como planos VGBL e PGBL, ou que têm um fundo ou reserva de previdência autogerida (próprio) devem ser muito mais cuidadosos, pois se o dinheiro acabar, acabou. Esses devem estabelecer regras claras para o uso do dinheiro e devem procurar formas de repor as reservas gastas a mais, mesmo que isso implique em voltar a trabalhar ou cobrar de volta dos filhos no futuro, devidamente corrigido conforme acordado.