Sustentabilidade: economizar ajuda o meio ambiente!

Sustentabilidade é algo sério. Muitas pessoas mostram preocupação sobre o tema, se dizem “alarmadas e inconformadas” com tudo isso. Mas a distância entre a indignação e a efetiva ação para mudar a situação atual ainda é muito grande. Pior ainda é o paradoxo das pessoas que contribuem para causas ambientalistas como WWF e Greenpeace e, no entanto, consomem de forma desenfreada. Pelas estimativas da própria World Wildlife Fund (WWF), caso toda a humanidade tivesse o padrão de consumo dos americanos, seriam necessários 4,5 planetas Terra para suprir as necessidades. Poderíamos olhar para os americanos e criticá-los, mas muitos de nós brasileiros consumimos tanto ou mais do que o americano médio. Vamos colocar alguns pontos para reflexão:

Comecemos pela questão do uso da água, recurso ainda abundante no Brasil e, por isso, ainda barato e amplamente desperdiçado em nosso dia-a-dia.

Somando todas as economias acima, chegamos a 5.000 litros de água por mês. O preço pago por metro cúbico (m3 ) de água (ou 1.000 litros) varia segundo vários fatores (cidade, bairro, quantidade consumida, etc.), mas para simplificar vamos considerar que seja de R$ 2,00 por m3 . Além disso, há o custo do tratamento do esgoto, que geralmente é igual ao custo da água. Assim, estes 5.000 litros se transformam em uma economia mensal de R$ 20,00 ! Não parece muito, mas o mais importante é que você estará contribuindo com a natureza també, e isto não tem preço.

Você sabia que a produção de uma única calça jeans chega a usar mais de 10.000 litros de água, considerando todas as etapas de fabricação? Esse é só um exemplo do impacto no meio ambiente que a fabricação de um produto pode causar. Use-o para refletir sobre o impacto que todas as roupas que você já comprou causaram no mundo, sem contar no bolso…

Já pensou também no que você pode contribuir para o meio ambiente, para o seu bolso e até para a sua saúde com pequenas ações como:

– Consumir alimentos na quantidade necessária, evitando desperdícios;

– Deixar o carro em casa e caminhar em trajetos mais curtos, ou usar transporte público em trajetos mais longos;

– Comprar produtos apenas quando realmente for necessário e não para satisfazer seus “desejos”.