22/07/12

Veja como usar o cartão de crédito a seu favor

Pesquisa põe dívida do dinheiro de plástico como maior causa de inadimplência no país; confira dicas:

Pesquisa do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontou que o cartão de crédito é visto pelo consumidor como o maior responsável pela inadimplência no país.

De acordo com o estudo, em junho, 31% dos inadimplentes citaram o cartão como o vilão da economia doméstica na comparação com outros meios de pagamento (veja tabela abaixo). O cenário preocupa porque o índice vem subindo desde o começo do ano, quando estava em 23%. Em março, chegou a 29%.

“O cartão de crédito não é vilão em nenhum momento. A inadimplência acontece nele por falta de educação financeira do consumidor”, diz o economista Carlos Henrique de Almeida, do Serasa Experian.

De acordo com Almeida, o maior acesso ao cartão como ferramenta de crédito por parte das classes C, D e E nos últimos anos é parte do problema. “A inadimplência acontece em todas as classes de renda, mas parte das classes C, D e E têm menos controle porque a cultura deles em mexer com crédito é recente”, afirmou o economista.

O problema preocupa a Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços), que tem um site com dicas de como utilizar bem o cartão de crédito e também patrocina uma campanha de educação financeira. “Desde 2009 a prioridade da Abecs é educar o consumidor para usar o cartão de crédito de maneira consciente. Já distribuímos mais de 100 mil cartilhas educativas em centros comerciais como a Rua 25 de março”, afirmou Carlos Zanvettor, diretor da associação.

Ricardo Pereira, consultor financeiro do programa Consumidor Consciente da operadora de cartões Mastercard, concorda com Almeida. “Nenhum cartão vai sozinho à loja fazer compras. Quem se endivida por não saber usá-lo é seu portador”, brinca Pereira.

Especialista em finanças pessoais, o consultor dá palestras no Brasil todo ensinando educação financeira. “A carência de educação financeira no Brasil se justifica por décadas de cultura inflacionária. A geração dos anos 1970 e 1980 não recebeu dos pais esse conceito corretamente”, diz Pereira.

Aliado/ O DIÁRIO ouviu especialistas e montou os dez mandamentos para usufruir do que há de melhor nesta forma de pagamento (veja na página ao lado).

Uma dúvida comum é quanto da renda pode ser comprometida com os gastos. “A equação é: o mínimo possível que atenda as necessidades de compras financiadas do consumidor”, diz José Dutra Vieira Sobrinho, um dos vice-presidentes da OEB (Ordem dos Economistas do Brasil).

O consumidor deve, ainda, evitar usar o cartão para pagar pequenas despesas, perdendo o controle dos gastos e levando um susto no final do mês.

Pesquisas mostram cartão como motivo de dívida

O número de famílias brasileiras endividadas aumentou para 57,3% em junho diante 55,9% no mês anterior, apontou a mais recente Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, realizada mensalmente pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo). Foi a primeira vez que a pesquisa mostrou alta desde o mês de junho do ano passado.

A pesquisa leva em conta a existência de dívidas, mas não necessariamente com o pagamento em atraso.

Segundo a economista da CNC Marianne Hanson, coordenadora do estudo, o que levou ao crescimento do número de famílias endividadas no país foi o aumento da oferta de crédito no mercado nos anos de 2010 e 2011.

O número de famílias com contas em atraso mostrou ligeira variação para baixo, caindo de 23,6% em maio para 23,6% em junho. Como a pesquisa do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), o estudo da CNC apontou a dívida com cartão de crédito a vilã do orçamento, com 74,8% das famílias responsabilizando essa modalidade de financiamento como o maior motivo de endividamento. “Apesar da queda nos juros para cartão de crédito, a taxa ainda é muito alta. Uma dívida de cartão, por causa dos juros, pode dobrar em seis meses”, afirmou Marianne.

Pela pesquisa do SCPC, em segundo lugar na dívida dos brasileiros vêm os cheques, com 24%, e os carnês e boletos bancários, com 22%. Segundo projeção da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços ), o país terá 193 milhões de cartões de crédito até o final do ano.

Onde aprender a usar o cartão

Site da Abecs (Associação Brasileira de Empresas de Cartão de Crédito e Serviços)

www.abecs.org.br/dicas

Site do programa Consumidor Consciente:

www.consumidorconsciente.org

www.consumidorconsciente.org

Site de educação financeira do especialista Ricardo Pereira:

www.dinheirama.com

Com o cartão é possível fazer:

• Parcelamento de compras
• Compras no exterior
• Saque em dinheiro
• Empréstimo pessoal
• Financiamento do saldo da fatura (pagamento parcial)
• Prazo de até 40 dias para pagamento de compras

Alguns planos oferecem:

• Serviços de assistência em viagem
• Seguro de acidentes pessoais para o titular, adicionais e filhos até certo limite de idade
• Seguro automático
de bagagem e aluguel de veículos
• Serviços de agência de viagem no Brasil e no exterior
• Programas de descontos e ofertas especiais em milhagens